17/07/2017 às 08h53 - Médula Óssea

Hemocentro realiza cadastro no CFAP

O cadastro será realizado na próxima quinta-feira, 20, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) da Polícia Militar de Sergipe (PM/SE).

Por: JornaldaCidade.Net

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose), unidade da Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH) que integra a Rede Estadual de Saúde, irá realizar na próxima quinta-feira, 20, o cadastro de medula óssea no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) da Polícia Militar de Sergipe (PM/SE), localizado na Rua Argentina, 213, Bairro América.  A ação, com o objetivo de ampliar o número de pessoas inseridas no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), integra a campanha “Todos por Rômulo”, destinada ao tratamento do policial militar, Rômulo dos Santos Oliveira.

 

Foto: Divulgação

 

Para realizar o cadastro é necessário estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos, não ter doenças infecciosas e apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial. De acordo com a assistente social, Rozeli Dantas, responsável pela gerência de captação do hemocentro, quanto mais cadastros são feitos, maiores são as chances de encontrar alguém compatível, sabendo que a possibilidade de compatibilidade é uma em cem mil.

 

“Os cadastros realizados nos hemocentros brasileiros são inseridos num banco de dados nacional, chamado Redome, criado para buscar possíveis doadores de medula e beneficiar pessoas que possuem doenças que comprometem a produção do sangue e necessitam fazer o transplante de medula óssea”, explicou ela ao lembrar que o cadastro de medula óssea é único, ou seja, a pessoa não precisa se cadastrar mais de uma vez, os dados ficam armazenados e acessados sempre que necessário.

 

Ao chegar ao local do cadastro, a pessoa interessada em doar, preenche um formulário com seus dados pessoais e logo após é encaminhada para a coleta de uma amostra com 4 ml de sangue. Essa amostra coletada é encaminhada para realização do exame de Histocompatibilidade (HLA), que pesquisa as características genéticas do candidato à doação. O resultado da análise e os dados dessa pessoa que realizou o cadastro serão incluídos no Redome.  Essas informações serão cruzadas diariamente com os dados de pacientes que esperam por uma doação de medula e estão cadastrados no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme). Os dois sistemas instalados no Instituto Nacional de Câncer (Inca) cruzam diariamente as informações genéticas dos doadores com o dos pacientes.

 

Tratamento

 

O transplante de medula óssea é um procedimento indicado para pacientes portadores anemia aplástica grave, outras anemias adquiridas ou congênitas, e na maioria dos tipos de leucemias, como a mieloide aguda, mieloide crônica e a linfoide aguda, além de cerca de 80 doenças, incluindo casos de mieloma múltiplo, linfomas e doenças autoimunes.

Comentários

comments powered by Disqus