17/07/2017 às 13h59 - Saúde

Boa alimentação e atividades físicas reduzem doenças no coração

A estimativa é de que no ano passado 349.938 pessoas tenham morrido por doenças cardíacas no Brasil.

Obesidade, sedentarismo, falta de exercícios físicos e má alimentação são os principais fatores de risco para doenças cardiovasculares. Na correria do dia-a-dia, muitos param para um lanche rápido, uma atitude que se pensa ser simples e inofensiva. O problema é que, na maioria das vezes, esta dieta vem carregada de muita fritura, gordura e rica em substâncias que podem acabar com a saúde do seu coração.

 

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia, aproximadamente a cada um minuto e meio uma pessoa perde a vida em decorrência de problemas no coração. A estimativa é de que no ano passado 349.938 pessoas tenham morrido por doenças cardíacas no Brasil. Até o momento, este índice no mês de julho já ultrapassou o número de 12.900 pessoas.

 

Os problemas relacionados ao coração ocupam o primeiro lugar no número de mortes por doenças em todo o mundo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, mais de 17 milhões de pessoas morrem todos os anos vítimas de ataques cardíacos ou derrames em todo o planeta.

 

 Para o cardiologista Eduardo Ferreira, uma boa alimentação diminui as chances de se contrair uma doença do coração. “Antes os médicos falavam apenas para diminuir o sódio dos alimentos. Hoje, mais do que nunca, devemos lembrar que alimentos ricos em gordura, gorduras trans também contribuem bastante para o aumento dessas doenças. Por isso, devemos sempre optar por alimentos com baixo teor de gordura e os alimentos integrais”, disse o cardiologista.

 

Eduardo Ferreira explica ainda que mesmo com a correria do dia-a-dia, a realização de exercícios não deve ser encarada como uma dificuldade. “A prática de atividades físicas é fundamental para o perfeito funcionamento do corpo. Nosso coração é uma máquina e precisa de manutenção e que cuidemos bem dela. Em média 30 minutos já são suficientes para que possamos reduzir as chances de um infarto ou derrame”, disse o médico.

 

Ele também fala que pessoas com pré-disposição a estas doenças devem redobrar os cuidados para evitar futuras complicações. “Pessoas que têm algum familiar com problemas cardíacos devem acender o alerta. Estas pessoas devem procurar regularmente um médico, além de manter uma vida saudável. Quem tem mais chances de ter uma doença cardíaca deve manter-se cuidado para que não venha a adquirir um problema maior no futuro como um infarto, por exemplo”, explicou o Eduardo Ferreira.

 

Fonte: SES

 

 

Comentários

comments powered by Disqus