06/11/2017 às 08h23 - Saúde

Alerta Sergipe tem alta nos casos de sífilis

"É preciso conscientizar para o uso do preservativo", afirma Almir Santana

Por: JornaldaCidade.Net

A falta do uso do preservativo nas relações sexuais tem levado homens e mulheres e também bebês a adquirirem a sífilis, que está na classe das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), e a alta incidência dos casos no país têm preocupado os órgãos públicos. Por isso, este ano, a Secretaria Estadual de Saúde (SES), durante a campanha Novembro Azul, destinada aos cuidados da saúde do homem, está focada também no combate à sífilis. Para se ter uma ideia, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, a cada ano, aproximadamente seis milhões de pessoas são infectadas pela doença.

 

Segundo Almir Santana, gerente do Programa IST/Aids da SES, o número dos casos de sífilis tem aumentado significativamente em Sergipe, assim como em todo o país, e a sociedade precisa se conscientizar da importância do uso do preservativo. Ele completa que um dos pontos mais preocupantes é a incidência de sífilis congênita, que é quando a doença é transmitida da mãe para o bebê durante a gestação, através da placenta. Por ano, em média, são registrados 300 casos da doença em bebês.

 

“Temos que trabalhar o combate à sífilis também porque os dados são alarmantes. Os homens precisam se cuidar mais, fazerem exames e irem ao médico regularmente. Na maioria dos casos, o homem é quem passa a sífilis para a mulher, por isso, a participação dele no pré-natal da sua parceira gestante é fundamental. O homem também precisa fazer o teste rápido da sífilis, já que a saúde da sua parceira e também do seu filho dependem da dele. Quando a sífilis é transmitida para o bebê, que é a congênita, é porque a mãe dele estava com a doença e, por sua vez, foi infectada pelo seu parceiro. Os homens precisam ser incentivados a participarem do pré-natal também”, afirma. Quando o bebê é infectado pela sífilis, ele pode nascer com sequelas, como má formação e lesões no sistema nervoso e no coração, e até ir a óbito.

 

Ainda de acordo com ele, por a doença ser na maioria dos casos assintomática, muitos homens tem a sífilis e não sabem. Em decorrência disso, conta Almir, a SES tem traçado novas estratégias para o combate à sífilis. “Nem sempre a pessoa que está com sífilis apresenta sintoma e o diagnóstico da doença tem sido casual. O homem vai doar sangue, por exemplo, e descobre que está com sífilis. Então, estamos traçando estratégias para o combate à doença e uma delas é sugerir às empresas que passem a recomendar nos exames periódicos o teste rápido da sífilis”, declara.

 

Tratamento

Se não for tratada adequadamente, a doença pode se agravar, provocando lesões terciárias em importantes órgãos e até no sistema nervoso. “O uso do preservativo é fundamental para evitar a sífilis, assim como a realização dos exames para o diagnóstico precoce da doença. Lembrando que há cura e o tratamento da doença, assim como o teste rápido, está disponível nas unidades básicas de saúde”, ressalta o gerente do Programa IST/Aids.

 

E para intensificar o combate à doença, o Ministério da Saúde (MS) reforçará o repasse de verbas para cem municípios do país que estão apresentando mais casos de sífilis. Em Sergipe, as cidades que receberão o reforço são Aracaju e Nossa Senhora do Socorro.

 

Sintomas

Embora a sífilis seja, na maioria dos casos, silenciosa, a doença pode, às vezes, apresentar alguns sintomas, como a presença de feridas nos órgãos genitais, que desaparecem espontaneamente em alguns dias, lesões pelo corpo, descamação da pele, vertigem, rigidez no pescoço, entre outras.

Comentários

comments powered by Disqus