12/01/2018 às 08h45 - Política

Belivaldo: “Enquanto eles brigam, vamos caminhando”

De acordo com Belivaldo, a “incerteza” na definição do bloco da oposição deve ser respeitada.

Por: JornaldaCidade.Net

O vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB), pré-candidato ao cargo de governador do Estado de Sergipe, assegurou que a movimentação do bloco da oposição, até então composto por Antônio Carlos Valadares (PSB), Valadares Filho (PSB), André Moura (PSC) e Eduardo Amorim (PSDB), não interfere nem um pouco na estratégia que vem sendo montada para disputar a eleição que se aproxima. “Enquanto eles brigam, a gente vai caminhando com tranquilidade, sem pressa e sem agonia”, disse.

Para o JORNAL DA CIDADE, Belivaldo Chagas detalhou que a pré-candidatura do agrupamento que integra a situação de Jackson Barreto (PMDB) foi definida desde o mês de outubro do ano passado. “Então, nós não temos problemas em relação à escolha do candidato a governador do nosso agrupamento. Já está definido. O que vai acontecer um pouco mais à frente é a composição da chapa majoritária como um todo, no que diz respeito às duas vagas do Senado, vice-governador, suplentes. No geral, no nosso campo não há problema nisso”, destacou.

De acordo com Belivaldo, a “incerteza” na definição do bloco da oposição deve ser respeitada. “É um grupo que se apresenta como um grupo que quer porque quer bater de frente com o governo numa disputa mais ferrenha. Nós observamos que lá existe uma disputa interna muito grande entre o senador Valadares e o deputado federal André Moura. E no meio dessa discussão fica também o senador Amorim. Não se sabe de nada. A expectativa é que eles resolvam a vida deles porque a nossa já está resolvida”, frisou.

Desde outubro, o agrupamento liderado por Jackson vem mantendo diálogo com os partidos com a finalidade de ratificar o nome de Belivaldo Chagas na disputa. “Decidiu que a partir daquele momento todos os partidos deveriam se reunir individualmente para me apresentar como pré-candidato. O PT já fez diversas reuniões, o PDT, PSD, PCdoB teve reunião interna e ficou programada para o mês de janeiro uma reunião mais ampla. Agora teve o SD e faltando o PRB”, detalhou.

 

União

Em uma forma geral, segundo Belivaldo, todo o processo que o agrupamento vem passando pode ter como conclusão a unidade. “Não há nenhum problema aqui. Só nos resta aguardar o passar dos dias. Mais precisamente quero crer que a partir do Carnaval a gente possa avançar um pouco mais nas nossas visitas ao interior do Estado”, disse.

Conforme o JC acompanha, Valadares Filho, atualmente como deputado federal, já disse que o seu nome está à disposição para ser pré-candidato ao cargo para o governo. Ao ser questionado sobre uma preferência na disputa, Belivaldo foi diplomático e preferiu se restringir no discurso de que a população deve ter opções. “Eu tenho dito sempre que o bom é que tenhamos em 2018 bons candidatos. Que tenhamos várias candidaturas para que a população possa escolher”, pontuou.

 

Desincompatibilização

Com a sinalização oficial de pré-candidato, Belivaldo Chagas precisará tomar algumas medidas, como a exoneração da Casa Civil. “Deveria ter feito isso agora em janeiro, mas em função de algumas medidas que o governador resolveu que tomássemos no órgão cabe o acompanhamento dessas ações. Jackson pediu que acompanhasse”, falou.

 

Período de transição

Além disso, diante da possibilidade de Jackson Barreto se afastar para ser candidato, Belivaldo Chagas assumirá o comando. “Dessa maneira, estou fazendo o acompanhamento de cada secretaria. Como uma espécie de transição, porque claro que acompanho tudo como vice, mas não é a mesma coisa quando você assume”, registrou, acrescentando que anda estudando bastante as contas do Estado levando em consideração a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Comentários

comments powered by Disqus