12/04/2018 às 16h32 - Saúde

Aumentam os casos de conjuntivite em Aracaju

Vigilância Epidemiológica tem recebido diversas ligações da população.

Por: Grecy Andrade/ Equipe JC

Sensação de areia nos olhos e lacrimejamento são sintomas de uma conjuntivite, doença comum durante todo o ano, mas que costuma surgir com mais força quando a estação ou a temperatura muda. Por não ser um mal de notificação obrigatória nos postos de saúde, não existem estatísticas oficiais. Mas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a Vigilância Epidemiológica de Aracaju tem recebido várias ligações de Unidades da Atenção Primária e da população em geral, sobre o aumento da ocorrência dessa situação. 

 

Foto: Jadilson Simões/ Equipe JC

 

A conjuntivite aparece de repente, de forma suave, para depois se instalar por no mínimo três dias gerando muito desconforto e mal-estar. E foi justamente esse incômodo que o filho da jornalista Iana Queiroz sentiu antes de os sintomas da conjuntivite de fato aparecerem. Ela comentou que por conta do aumento de casos a escola do filho mandou um comunicado aos pais orientando que ao perceber alguns sintomas da conjuntivite que deixem os filhos em casa até melhorarem, já que a doença é contagiosa. 

 

“Levei ele a um médico e como o olhinho dele não estava com secreção a médica pediu que lavasse com soro e não deixasse ele passar a mão. Por enquanto ele não vai receber nenhuma medicação, mas estou observando e ele não vai voltar para a escola até que esteja 100%, até porque lá tem outras crianças e o pediatra da escola orientou que não devemos levar”, contou Iana. 

 

Segundo Tania Santos, enfermeira sanitarista da SMS, a conjuntivite viral é a inflamação da conjuntiva (parte branca do olho) e seu principal agente causador é o adenovírus. “A doença é altamente contagiosa, mais frequente no verão e tem como principais sintomas coceira e olho vermelho. Cerca de 95% dos casos de conjuntivite são causados por algum vírus, mas pelo fato do adenovírus ser o principal a conjuntivite viral também pode ser chamada de Ceratoconjuntivite Epidêmica”, explica.

 

Segundo a enfermeira, normalmente os primeiros sinais da conjuntivite aparecem em até 48h depois da instalação do agente causador no organismo da pessoa. “O tempo de incubação do vírus em nosso organismo leva de um a quatro dias, período em que a pessoa já está passível de transmissão, porém sem sintoma algum. É aconselhável que nesses quatro primeiros dias a pessoa permaneça em casa para não transmitir o vírus a outras pessoas. Após esse período de incubação, os primeiros sintomas começam a aparecer e permanecem de cinco a 15 dias”, esclarece. 

 

Tania Santos informa ainda que a conjuntivite causada por bactérias ou vírus possui um alto nível de transmissão e ela se dá através do contato com a secreção causada pela doença e também por objetos contaminados e, por isso, é necessário tomar alguns cuidados para evitar a transmissão. “Não usar maquiagem da pessoa contaminada com o vírus (ou bactéria); não usar a mesma toalha ou dormir com o mesmo travesseiro da pessoa contaminada; não partilhar óculos ou lentes de contato; abraços e beijos também podem transmitir a doença. No caso da conjuntivite viral, a transmissão pode ocorrer também através de espirros e tosses”.  

 

Ao contrário do que muitos pensam, a doença não é transmitida pelo ar, porém é preciso ter em mente que, mesmo a doença se limitando aos olhos, o vírus está presente em qualquer parte do corpo da pessoa infectada, como no rosto ou nas mãos. Portanto, evitar a presença em locais que possuam alta aglomeração de pessoas é muito importante.

 

“O principal sintoma da conjuntivite viral é o aumento da secreção dos olhos, que pode ser de cor branca ou amarela. Por se tornar muito mais espessa do que o normal, acaba ocasionando, muitas vezes, a dificuldade em abrir os olhos ao acordar. Além desse sintoma, outros podem se manifestar, tais como vermelhidão dos olhos; coceira e dor nos olhos; sensação de areia nos olhos; hipersensibilidade à luz; secreção nasal; inchaço nas pálpebras e visão embaçada”, informa Tania Santos, acrescentando ainda que em casos de suspeita de conjuntivite deve-se procurar um o oftalmologista, especialista em doenças oculares.

Comentários

comments powered by Disqus