20/04/2017 às 09h21 - Processos

Susana Azevedo obteve uma redução de 60% no quantitativo de processos

Susana diz que sua equipe tem trabalhado com a prioridade de realizar o julgamento de contas anuais no mesmo ano da sua apresentação.

Por: JornaldaCidade.Net

Tendo à frente a conselheira Susana Azevedo, vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), a 1ª Coordenadoria de Controle e Inspeção (CCI) obteve uma redução de 60% no quantitativo de processos em estoque no intervalo de um ano. Se em fevereiro de 2016 eram 575 processos para análise, atualmente são 235 aguardando julgamento. Susana diz que sua equipe tem trabalhado com a prioridade de realizar o julgamento de contas anuais no mesmo ano da sua apresentação. 

 

Redução 2

“Entendemos que é fundamental essa celeridade e temos buscado julgar as contas no mais breve espaço de tempo. Isso dá tranquilidade ao gestor para que ele priorize sua administração, bem como permite ao corpo técnico do Tribunal de Contas realizar o controle externo em tempo real, garantindo a boa utilização dos recursos públicos e a eficiência da administração”, falou Susana.
 

Má vontade 1

A vereadora Emília Corrêa (PEN) avalia que não há boa vontade política do Poder Executivo para resolver definitivamente a situação dos médicos da rede municipal, em greve há quase 85 dias. Segundo a parlamentar, o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) não recua e mantém essa luta de braço com a categoria. Enquanto isso, a população aracajuana padece.

Má vontade 2

“Os médicos tiveram a humildade de pedir ao prefeito de Aracaju que não recorresse da decisão do Tribunal de Justiça (TJ/SE), que negou o reconhecimento da ilegalidade da greve e que de forma pacífica e negociada fosse resolvido o impasse dos pagamentos dos servidores, ainda do mês de dezembro de 2016. Os médicos demonstram que querem chegar a um denominador comum, mas não há boa vontade política para resolver, está mais do que claro isso”, pontuou.

Esta semana o vereador Juvêncio Oliveira (DEM) protocolou na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) um projeto de lei (PL) que sugere a implantação da Patrulha Sonora à Guarda Municipal de Aracaju. Para o vereador, o projeto será de suma importância à população aracajuana, uma vez que em muitos bairros da capital há uma constante reclamação por parte dos moradores, relativo a alto volume do som, proveniente muitas das vezes de estabelecimentos comerciais. 


Poluição sonora 2

 

“Infelizmente, é muito comum nos depararmos com alguém que já tenha sido incomodado por som alto vindo dos famosos paredões ou até mesmo de ferramentas utilizadas em horários indevidos. Por isso, acredito que essa problemática é um fato que precisa ser solucionado, já que se trata de uma questão de bem-estar”, disse Juvêncio Oliveira.

Investigações 1

 

Com a mudança no comando da SSP, a deputada estadual Ana Lúcia (PT) destacou a necessidade de se manter as investigações sobre o patrimônio público que estão sendo realizadas sob o comando da delegada Danielle Garcia, coordenadora do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotap). 

Investigações 2
“A essência da questão a ser respondida à população é se a delegada Danielle Garcia continua e, caso continue, se ela permanecerá tendo as mesmas condições de fazer apuração que ela vem fazendo com relação ao patrimônio público”, apontou. Ana Lúcia apontou ainda que, caso Danielle Garcia seja removida da coordenação dessa importante investigação, deseja que seu substituto possa dar continuidade a todos os procedimentos que já vem sendo realizados, investigando e responsabilizando os desvios de recursos públicos. 
 
Judas não 1
A respeito da matéria veiculada no JC de ontem, sob o título “CUT queima Judas do trabalhador”, o senador Eduardo Amorim (PSC) afirmou que não está apoiando a reforma da Previdência e demais projetos que mudarão as leis dos trabalhadores. “É preciso relembrar que o parlamentar já externou no Plenário do Senado e em suas redes sociais que é veementemente contrário à reforma da Previdência e defende uma reforma tributária como solução mais acertada para equilibrar as contas do país”, disse Amorim.
 
 Judas não 2
O senador afirma que o motivo de não ter aceito a relatoria da medida provisória 767, que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social, por exemplo, é bastante simples: é restritiva de direitos, ela dificulta do acesso às garantias do regime previdenciário, mesmo com as atenuações propostas pelo relator. Ele nega que esteja buscando a retirada de direitos do trabalhador. Amorim também disse que não foi favorável ao projeto de lei 4302/98, que permite o uso da terceirização em todas as áreas (atividade-fim e atividade-meio) das empresas. 

Movimentado 
Falando no senador Amorim, seu gabinete foi um dos mais visitados essa semana em Brasília. Por lá passaram os deputados estaduais Antônio dos Santos (PSC) e Luciano Pimentel (PSB), o federal Valadares Filho (PSB), os prefeitos Cristiano Beltrão (Ilha das Flores), Genivaldo dos Anjos, o “Dadau” (Santo Amaro das Brotas), Gilson Andrade (Estância), Jeferson Santana (Maruim) e Vino Barreto (Rosário do Catete) e vereadores de Santo Amaro das Brotas e Rosário do Catete. Ele discutiu novas emendas para os municípios e temas relacionados ao desenvolvimento do interior sergipano. 
 
Dnocs 1
Ampliação das áreas beneficiadas com os projetos de irrigação e a construção e recuperação de obras de captação e acumulação de águas subterrâneas no Estado de Sergipe. Essa foi a defesa feita pelo presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (Cindra), deputadao Valadares Filho (PSB-SE), durante audiência pública, que ocorreu ontem, com a presença do presidente do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Angelo Guerra.
 
Dnocs 2 
Valadares Filho ressaltou a necessidade de agilizar a liberação de recursos para o Dnocs e disse que, na próxima semana, a Comissão de Integração vai receber o Ministro da Integração para uma audiência pública e que nessa ocasião vai reforçar o pedido do Dnocs. O deputado aproveitou a ida a Brasília do presidente Dnocs, do coordenador estadual do Dnocs em Sergipe, Anaílton Ribeiro, e do deputado estadual Luciano Pimentel (PSB) para tratar dos assuntos específicos de Sergipe. 

Jeitinho
Os deputados aprovaram ontem com dez votos favoráveis e três contra o projeto que dispõe sobre o uso do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza. O líder da bancada de oposição, deputado Georgeo Passos (PTC), foi contra: “Não vemos o governo fazendo um trabalho firme de redução à pobreza. E agora ele quer dar um jeitinho para utilizar os recursos da forma que melhor lhe convier”, reclamou.

Comentários

comments powered by Disqus