27/06/2017 às 09h02 - Periscópio

Podemos?

A repercussão da possibilidade de Jackson Barreto mudar do PMDB para o Podemos (antigo PTN) revelou uma explicação simples: desprestígio de Sergipe com o presidente Michel Temer, do mesmo partido do governador.

A repercussão da possibilidade de Jackson Barreto mudar do PMDB para o Podemos (antigo PTN) revelou uma explicação simples: desprestígio de Sergipe com o presidente Michel Temer, do mesmo partido do governador. Esta coluna já vem acompanhando a situação, inclusive o deputado estadual Jony Marcos (PRB) “cantou essa pedra” e até afirmou que os sergipanos só tiveram vez com o presidente Lula (PT), na época de Marcelo Déda.

 

Cantada ao vivo


Ontem, durante o programa “Jornal da Mix”, o senador Valadares (PSB) não perdeu a oportunidade e deu uma “cantada” daquelas para o apresentador Gilmar Carvalho, deputado estadual que atualmente está sem partido. O parlamentar foi logo falando no “ao vivo” que o partido tem interesse em Gilmar no quadro da sigla. 

 

Temer escutou?


Ainda no programa, Valadares afirmou que enviou o e-mail rompendo com Temer, mas, na verdade, queria repetir tudo que foi escrito pessoalmente. “O fato de participar de um governo de transição que enfrenta uma crise ética, política e econômica sem precedentes deve ser encarado pelo Executivo como uma missão temporária sacrificante em nome do Brasil e não como uma benesse ou como uma simples demonstração de força e prestígio e poder”, mandou.

 

Reforma trabalhista


Além de Valadares, o senador Eduardo Amorim (PSDB) também votou contra a reforma trabalhista. “Fiz a vontade do povo. O meu mandato é para representar o povo, por isso o meu posicionamento em relação ao voto contrário sobre a reforma trabalhista. Reafirmo que só defendo o que acredito e eu não podia admitir que o trabalhador brasileiro pagasse por essa conta tão absurda”, disse.

 

Ponto facultativo


O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) decretou ponto facultativo para os servidores de Aracaju no dia 29 de junho, Dia de São Pedro. A intenção é manter as tradições histórico-culturais e religiosas do município, especialmente no que se refere às festividades alusivas ao santo. A medida foi tomada através do decreto nº 5.505.

 

Pode atrasar 1


A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, concedeu liminar que suspende decisões do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN) que determinavam o pagamento dos vencimentos dos servidores do Estado até o último dia de cada mês. Segundo decisão adotada pela ministra na suspensão de segurança (SS) 5.163, a gravidade “exponencial” da situação financeira e fiscal do Estado justifica a adoção de medidas transitórias e excepcionais, como o fracionamento do pagamento dos servidores públicos.

 

Pode atrasar 2


O entendimento da ministra reconhece como legais medidas adotadas pelo Estado de Sergipe, também impossibilitado de cumprir o calendário de pagamento, devido à queda nas receitas. O governador vem, diante da crise financeira, redefinindo o calendário de pagamento dos servidores. Outros 11 Estados tomaram a mesma decisão.

 

Paralisação


Auxiliares e técnicos de enfermagem e demais servidores do nível médio da Saúde realizaram, com apoio do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), uma paralisação de 24 horas desde às 7 horas desta segunda-feira, 26. Houve ainda um ato público na frente do Centro Administrativo da Prefeitura. A ideia é chamar atenção do prefeito Edvaldo Nogueira em relação a uma lista de reivindicações, como o reajuste salarial 2017 e a renegociação do pagamento do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade.

 

Posse


O conselheiro Clóvis Barbosa, presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), esteve presente na posse da nova diretoria da Associação Sergipana do Ministério Público (ASMP), que terá como presidente, no biênio 2017/2019, o promotor Jarbas Adelino Santos Júnior. Na solenidade, ocorrida no auditório do Ministério Público do Estado (MPE), esteve presente também o procurador-geral do Ministério Público de Contas, João Augusto dos Anjos Bandeira de Mello.

 

Comprometidas


“O TCE não poderia estar ausente deste evento, dando esse apoio à Associação Sergipana do Ministério Público, afinal sabemos que existem forças comprometidas com a corrupção que estão tentando inviabilizar o MP e a magistratura, bem como os Tribunais de Contas, então temos que estar unidos aqui para compartilhar deste momento”, afirmou o conselheiro Clóvis Barbosa.

 

Vaep 1


A Câmara Municipal de Aracaju (CMA) emitiu comunicado esclarecendo que o projeto de resolução (PR) nº 05/2017 só reforça o que dispõe a lei nº 4.478, de 17/8/2015, que trata sobre o uso da verba do exercício parlamentar (Vaep). Para ser ressarcido, cada vereador tem que comprovar os gastos, conforme prevê a lei que regulamenta o uso da Vaep.

 

Vaep 2


Segundo a Câmara, a lei foi elaborada tendo como base o termo de ajustamento de gestão (TAG), assinado em 2015 com Tribunal de Contas do Estado (TCE) e que continua valendo. O projeto de resolução prevê ainda que podem ser contratados serviços de comunicação e marketing por cada vereador, para divulgação apenas das atividades institucionais pelo parlamentar. A aprovação do PR não altera o uso da Vaep, de acordo com o que está estabelecido na referida lei que trata sobre o assunto.

 

Chamamento


A Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese) publicou ontem o chamamento público nº 02/2017, sobre a abertura de procedimento de manifestação de interesse (PMI) para receber propostas que tenham por objeto a elaboração de estudos que demonstrem a viabilidade técnica e econômico-financeira para subsidiar a concessão da BR-235, no trecho rodoviário delegado ao Estado de Sergipe, conforme convênio celebrado com a União.

 

Do povo


Com objetivo de colocar um ponto final na repercussão do seu voto contrário à reforma trabalhista, na Comissão de Assistência Social do Senado, o senador Eduardo Amorim (PSDB-SE) disse que fez a vontade do povo. “O meu mandato é para representar o povo, por isso o meu posicionamento. Reafirmo que só defendo o que acredito e eu não podia admitir que o trabalhador brasileiro pagasse por essa conta tão absurda”, reafirmou Eduardo. Para ele, a coerência é um atributo pouco utilizado no meio político.

Comentários

comments powered by Disqus