seta proxima

Próxima

Esperança

02/01/2018 às 11h10 - Parkour

Esporte predileto do governador Jackson Barreto (PMDB)

Ainda assim, tem sido o esporte predileto do governador Jackson Barreto (PMDB), em relação ao presidente Michel Temer. Uma hora JB terá que descer do muro.

Por: JornaldaCidade.Net

Para quem não sabe, Parkour é aquele esporte perigosíssimo onde os praticantes se aventuram pulando em cima de muros, contornando os obstáculos das zonas urbanas. É considerada a modalidade de maior risco entre os desportos. Ainda assim, tem sido o esporte predileto do governador Jackson Barreto (PMDB), em relação ao presidente Michel Temer. Uma hora JB terá que descer do muro. 
 

Senado 1

O deputado federal André Moura (PSC), líder de Temer no Congresso, já definiu: será candidato ao Senado. Ele já comunicou sua intenção ao presidente Michel Temer (PMDB), que aprovou a pré-candidatura. A avaliação é de que, na posição política em que se encontra, se não galgar um voo mais alto agora Moura talvez não tenha outra oportunidade tão cedo.

 

Senado 2

Não tentar um espaço na disputa majoritária poderia ser encarado até como um sinal de covardia política, além de um desgaste muito grande do governo Temer. O fato é que o presidente garantiu apoio total ao projeto de André Moura – até porque Temer, no período pós-governo, quando voltará a responder àquele inquérito sobre a mala de dinheiro, vai precisar de apoio político. E nada melhor do que poder contar com o seu líder no Senado.
 

Foi Belivaldo 1

Partiu de um pedido do vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) a determinação de exonerar todos os ocupantes de cargos comissionados do Governo de Sergipe. Além de uma medida administrativa para gerar economia, renomeando menos pessoas, a ideia é sim dar uma organizada política nos quadros do governo. A avaliação é de que ainda há muito fogo amigo.

Foi Belivaldo 2

Fazendo isso, o governador Jackson Barreto (PMDB) poupou Belivaldo de ter que realizar exonerações com motivações políticas, assim que assumir o governo, em período próximo à campanha. Ficou combinado também que todas as nomeações e indicações políticas dos quadros governamentais passarão por Belivaldo. Se alguém ainda tinha dúvida de que o “Galeguinho” seria o candidato do governador, isso encerra a polêmica.

A volta de Mendonça Prado para comandar o Democratas deixa uma coisa bem definida: em Sergipe, a despeito de qualquer acordo nacional, o DEM não estará aliado ao PSDB, que por aqui é encabeçado hoje pelo senador Eduardo Amorim. Na última eleição para governador, Mendonça deixou o DEM de forma traumática, para não se aliar aos irmãos Amorim.  
 

Balanço

O deputado Robson Viana (PEN) avalia que apesar da situação difícil do país, com a recessão, a Assembleia Legislativa trabalhou bem em 2017. “Esperamos que no próximo ano a gente tenha mais projetos colocados nessa Casa pelos parlamentares e que estejamos à disposição do Governo do Estado para ajudar a sair dessa situação difícil, a exemplo da questão dos salários dos servidores, Educação e Saúde”, falou.

Eleição atrapalha

Robson Viana afirmou ainda que por ser um ano de eleições, em 2018 haverá dificuldades. “Isso no âmbito geral, não só no Estado de Sergipe. No Brasil, no período da eleição, corremos o risco de não termos trabalhos muito proveitosos, porque infelizmente as eleições acabam tirando o foco de alguns deputados, pois alguns são do interior e precisam de acompanhamento político. Mas eu tenho certeza que esta Casa com a maturidade que tem vai cumprir o seu papel”, falou 

Meia-entrada

No final de 2017 a Câmara de Vereadores acabou aprovando o polêmico projeto da vereadora Emília Corrêa (PEN), que cria a meia-entrada para jornalistas, radialistas e publicitários em eventos culturais, esportivos, de lazer e entretenimento na capital sergipana. “Fica, portanto, assegurado o pagamento de 50% do valor realmente cobrado pelo ingresso nas casas de evento. Com a aprovação estaremos garantido aos profissionais da comunicação momentos de lazer e conhecimento”, destacou.
 

Pauperização 1

Após o Sintese divulgar a nota de 0,8 do Governo de Sergipe, referente à prova final da gestão da educação pública, a deputada estadual Ana Lúcia (PT) destacou em sua rede social que o resultado ruim é sinal de que o governador Jackson Barreto (PMDB) “não priorizou a educação”. 

Pauperização 2

Para Ana Lúcia, a categoria transmitiu apenas o sentimento que a gestão vem dando para a educação pública em Sergipe. “A categoria está muito decepcionada pela falta de condição de trabalho, pela falta de diálogo e pelo congelamento do salário. Então, a situação do magistério da rede estadual é de pauperização”, pontuou.
 

Aracaju

Aracaju ficou de fora da prova final da gestão da educação pública. Mas foi por um motivo simples: a avaliação é feita pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe (Sintese). A capital sergipana, neste caso, fica sob a análise do Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema).

Cadê o memorial? 1

O JORNAL DA CIDADE por diversas vezes já fez matérias sobre o descaso com o Memorial da Bandeira – na verdade, agora, o espaço é destinado a “abrigar” entulhos –, situado na Praça da Bandeira. Vale registrar que o local num passado não tão distante era o ponto de encontro de estudantes, turistas e cidadãos que buscavam conhecer mais sobre história e cultura.

Cadê o memorial? 2

Falando nisso, a vereadora Emília Corrêa (PEN) cobrou providências na manutenção do espaço. “Era um local de vasta variedade e de conteúdo disponível para o público em geral, além de servir como espaço para os professores utilizarem o acervo para ministrarem aulas de história. Conhecendo a própria cultura, as pessoas compreenderão a importância de mantê-la viva”, ressaltou. 

Comentários

comments powered by Disqus