15/10/2018 as 07:58

Com Haddad

Deputado Fábio Mitidieri (PSD) reafirma apoio à Haddad (PT)

A direção nacional do seu partido não se manifestou oficialmente, mas em conversas com o presidente da sigla, Mitidieri confirmou que a tendência é liberar os diretórios para votar como quiserem.


Tranquilo

Tranquilo, sem ressentimento e extremamente feliz. É assim que está se sentindo o ex-governador Jackson Barreto (MDB), após as eleições, quando não conseguiu a eleição para o Senado. Há alguns dias, algumas pessoas próximas a JB já haviam informado isso: ele está sereno e aceitou bem o resultado. O ex-governador acha que a eleição deste ano lembrou a de 1974, quando Gilvan Rocha foi eleito Senador, mesmo enfrentando Leandro Maciel. 

Renovação 1
JB afirmou que já havia captado o sentimento de renovação que estava na população e confessou à coluna: “Estou tranquilo, em paz. Desejo boa sorte aos eleitos e torço que façam o melhor para Sergipe. Eu ficaria triste se Valadares e André Moura tivessem sido eleitos. Mas a população mostrou que queria renovação. Eu inclusive havia relutado em apresentar meu nome para a disputa”, falou Jackson.

Renovação 2
Aliás, o ex-governador considera representativa a derrota de André Moura, devido ao investimento financeiro que teria sido feito pelo candidato. Jackson disse que em seus 48 anos de vida pública nunca havia visto uma campanha com tantos recursos. “Nunca vi nada igual em toda a minha vida.

Renovação 3
Ainda em conversa com a coluna, Jackson destacou que está muito feliz pelo desempenho de Belivaldo Chagas (PSB). Segundo ele, Belivaldo transmitiu credibilidade, em oposição à falta de experiência do seu adversário.

O primeiro 1
Desde o início da semana a coluna vem noticiando que diversos políticos que estavam nos grupos derrotados na eleição já estavam entrando em contato com o governador Belivaldo Chagas, buscando apoiá-lo. O primeiro deles foi o deputado estadual Gilmar Carvalho, que na terça-feira já estava no palácio, acompanhado do seu padrinho.

O primeiro 2
Gilmar fez forte oposição e deixou mágoas no agrupamento liderado por Belivaldo. Muita gente considerou jogo sujo a publicação de uma pesquisa inexistente, atribuída ao Datafolha, que ficou em destaque no seu site, na reta final da campanha. Como diz o ditado, política é como as nuvens no céu, sempre mudando de lugar. E Gilmar agora já fechou o apoio a Belivaldo.

Em Lagarto 1
E falando em Belivaldo, ele obteve excelente votação no Município de Lagarto, um dos maiores colégios eleitorais do Estado, que é também base eleitoral da família Reis. O voto de Belivaldo foi casado com o do deputado federal Fábio Reis, que disputou a reeleição. O governador contabilizou 16.328 votos (40% dos válidos) enquanto Fábio teve 16.997 votos - 36,80% dos votos para deputado federal.

Em Lagarto 2

A família Reis, inclusive, sai muito forte das eleições deste ano. Além de reeleger Goretti Reis, que foi apoiada por Fábio e Jerônimo Reis, o grupo ainda conseguiu eleger Diná Almeida, a candidata de Sérgio Reis, que mostrou grande capacidade de articulação política. O grupo continua firme na campanha
de Belivaldo Chagas.

Com Haddad

O deputado federal reeleito Fábio Mitidieri (PSD) votou no presidenciável Haddad (PT) e vai continuar a apoiá-lo no segundo turno. A direção nacional do seu partido não se manifestou oficialmente, mas em conversas com o presidente da sigla, Gilberto Kassab, Mitidieri confirmou que a tendência é liberar os diretórios para votar como quiserem. “Eu continuarei trabalhando por Haddad junto à população e às minhas lideranças”, falou.

Mandato
Questionado pela coluna sobre o seu próximo mandato, Mitidieri disse que precisa manter a sua linha. “Minha marca foi a coerência, postura reta e direta. Quero continuar na defesa dos interesses dos sergipanos. Temos uma reforma da Previdência pela frente e não podemos deixar que a parte fraca pague a conta. Sempre tive o esporte como minha bandeira e vamos continuar defendendo. Sou da Comissão de Orçamento e da Comissão de Seguridade. Quero atuar forte nessas áreas também”, disse o parlamentar.

PT 1
Membro da Executiva Estadual do PT em Sergipe, Sílvio Santos acredita que, ao contrário do que muitos apregoavam, o partido saiu fortalecido da última eleição no Estado. “Além de manter nossa representação na Alese e na Câmara Federal, nós elegemos um senador. Tivemos ainda uma expressiva vitória de Haddad no Estado. A quarta maior votação do Nordeste para o nosso presidente”, falou Sílvio.

PT 2
O petista considera que isso não é pouca coisa, principalmente para um partido que, segundo o próprio Sílvio, vive sob fogo cerrado. “Somos atingidos por um verdadeiro massacre diário em todas as frentes. Demonstramos grande capacidade de resistência e força para sair do cerco. Outras lideranças e forças políticas por muito menos sucumbiram. Nenhuma força política jamais resistiu ao que nós passamos. Então, por tudo isso, eu avalio muito positivamente o nosso desempenho nas eleições 2018”, declarou Sílvio à coluna.