14/04/2020 as 13:14

NO STF

Alessandro Vieira diz que está trabalhando para defender a Constituição e o interesse público

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) avisa na rede social, em seu perfil pessoal: “Temos trabalhando intensamente para defender a Constituição e o interesse público, em especial dos mais pobres"

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

No STF 1

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) avisa na rede social, em seu perfil pessoal: “Temos trabalhando intensamente para defender a Constituição e o interesse público, em especial dos mais pobres. Hoje [ontem] pela manhã impetrei um mandado de segurança junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar a votação irregular da PEC 10, o chamado ‘Orçamento de Guerra’”.

 

No STF 2

E continua: “Esta PEC traz em si a possibilidade de sérios riscos jurídicos, administrativos, patrimoniais e fiscais para a União e para a sociedade brasileira como um todo; cria insegurança jurídica para as ações de combate à pandemia, em virtude da imprecisão de seus comandos”.

 

No STF 3

Por fim, sinaliza que vai usar todos os meios disponíveis para chamar o Senado Federal à razão. “Evitando atropelos que poderão causar danos permanentes à economia e à própria democracia”, concluiu.


Sem falar 1

O partido Aliança pelo Brasil não conseguiu fazer o registro na Justiça Eleitoral. Em Sergipe, o esforço aconteceu, inclusive com o direcionamento das assinaturas para criação no sistema da nova sigla. 

 

Sem falar 2

Procurado por esta coluna para saber os próximos passos dos integrantes da tal sigla, que teria como filiado principal o presidente Jair Bolsonaro, a organização em Sergipe afirmou que ainda não possui autorização para falar sobre o andamento que será dado a partir de agora. Por sua vez, o empresário João da Tarantella adiantou que há sim um intuito de focar e tentar, mais uma vez, uma nova mobilização para a eleição de 2022. Mas ele não entrou em muitos detalhes.

 

Adiamento?

Devido à pandemia do coronavírus, muitos políticos vêm acreditando e até mesmo defendendo o adiamento da eleição deste ano. O fato é que, até o momento, nada foi confirmado pelo Tribunal Superior Eleitoral. “Acho que as eleições serão adiadas, para novembro ou dezembro. Então, acho que teremos mais um tempo, espero”, opinou José Carlos Machado, presidente do diretório estadual do DEM, para esta coluna.