11/05/2018 as 10:37

Valadares Filho quer auditoria na gestão de Almeida na Saúde

Deputado questionou supostas ordens de pagamento feitas por ofício.


Após o governador Belivaldo Chagas (PSD) ter exonerado Almeida Lima da pasta da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e ter ocorrido uma chuva de “farpas” entre eles em menos de 24h, o deputado federal Valadares Filho (PSB), também pré-candidato a governador do Estado nas eleições deste ano, espera que seja aberta urgentemente uma auditoria da gestão.

                                            


Em seu perfil pessoal na rede social, através do Twitter, Valadares Filho escreveu: “Depois da autorização dada por Jackson Barreto para exonerar Almeida esperamos que através das suspeitas colocadas por Belivaldo, em relação aos pagamentos de fornecedores por ofício e os gastos no Taj Mahal pela SES, seja aberta urgentemente uma auditoria sobre a gestão de Almeida”, escreveu o parlamentar.

De acordo com Valadares, Belivaldo precisa dar resposta sobre a situação exposta para Sergipe. “Se não fizer isso dando uma resposta imediata à sociedade sobre as investigações, demonstrará a mesma omissão que teve como vice-governador e chefe da Casa Civil, se comportando como um verdadeiro ‘governador adjunto’”, disse.

“Deus nos livre”
O conflito teria surgido desde o episódio da inauguração do Centro de Nefrologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde Belivaldo já havia demonstrado o seu descontentamento com Almeida Lima na pasta da Saúde. E anteontem o governador já havia sinalizado durante uma entrevista no programa de rádio que tinha tomado a decisão de uma mudança e até criticou bastante os serviços desenvolvidos, conforme o JORNAL DA CIDADE registrou na edição passada. Pois bem: a mão do chefe do Executivo falou mais alto e retirou oficialmente o gestor do quadro de primeiro escalão do Governo de Sergipe.

Sobre o episódio de ter sido exonerado da forma como foi, sob uma série de críticas, Almeida Lima desabafou e “soltou o verbo” numa entrevista para a TV Sergipe. “Se naquele dia da visita ele não tropeçasse exatamente na nefrologia, ele iria tropeçar no pronto de socorro. Aliás, foi a única vez que ele esteve no Huse durante 10, 12, 14 e 16 anos em que esteve no governo. Se lá mais vezes ele estivesse, ele teria tropeçado ao descer do cargo em outros momentos. No fundo, o que demonstrou foi um desconhecimento da máquina que está administrando e que, lamentavelmente, pretende governar pelos próximos quatro anos e Deus nos livre”, falou.

“Não tinha controle de nada”
Contudo, em resposta aos comentários, o governador Belivaldo Chagas também mandou recado para o ex-gestor ontem durante uma entrevista. “Almeida não tinha controle de nada. Ele fazia os pagamentos como se fosse o dono do mundo. Não quero estar perdendo tempo com esse cara”, rebateu.

Além disso, Belivaldo mencionou o relatório de despesas da construção do Centro Administrativo da Saúde, localizado na Avenida Augusto Franco. “Isso aí se tornou um segredo de Estado. Todo mundo quer saber o que foi gasto e o que o todo poderoso conseguiu fazer com a secretaria. A preocupação dele foi apenas de construir o Taj Mahal, só isso”, concluiu.