06/07/2018 as 08:42

Política

“Saí do Governo limpo e com o mesmo patrimônio”, diz JB

Ex-governador elogiou atuação de Belivaldo Chagas e destacou avanços.


“Saí do Governo limpo e com o mesmo patrimônio”, diz JBFoto: Andre Moreira/Equipe JC

O ex-governador Jackson Barreto afirmou que durante o período em que esteve à frente do Governo do Estado permaneceu com o mesmo patrimônio de quando entrou. Ele disse ainda que as pessoas podem até divergir da forma como administrou, mas nunca dirão que lesou o Estado.
“Tenho a minha consciência que fiz um governo ético, com seriedade. Eu não sou ladrão, eu não sou corrupto. No meu governo Jackson Barreto não roubou. Críticas ao governo de Jackson Barreto existem aqui, ali, acolá e eu acho que tenho que respeitar, apesar de não concordar com a maioria”, pontuou Jackson, em entrevista ao radialista George Magalhães.


E acrescentou: “Saí do governo limpo e com o mesmo patrimônio que entrei, porque nunca me preocupei em construir patrimônio usando dinheiro público. Estou em paz com a minha consciência”.

 

Finisa


O pré-candidato ao Senado aproveitou para relembrar o episódio do Finisa, quando o Governo Federal condicionou a aprovação do empréstimo aos votos da reforma da Previdência. “Depois de tudo aprovado, a Caixa diz que eu tinha que procurar o presidente Temer. Nunca aconteceu isso. Não se justifica o presidente dizer que só liberaria mediante os votos dos deputados na reforma da previdência. Nunca vi um presidente tão pequeno, tão diminutivo como esse”, afirmou JB.


Ele também citou o papel do deputado André Moura na questão do Finisa. “Aqui em Sergipe, todos os meses o líder do governo trazia um ministro, ou seja, para fazer um governo paralelo, a fim de me desmoralizar. Eu responsabilizo Temer e o líder do governo. Ele (André) não tem tanta força? Não está aqui todo dia trazendo verba? Ele se colocou à disposição para ajudar e eu acreditei”, disse o ex-governador.

 

Fafen


Questionado sobre o fechamento da Fafen, Jackson afirmou que a discussão ficará para o próximo presidente e citou a insensibilidade do presidente da Petrobras, Pedro Parente. “O presidente da Petrobras, Pedro Parente, é descomprometido socialmente. Ele é muito seco, um homem que atende aos mercados. Esse governo de Temer não tem nenhuma legitimidade para fechar a Fafen. Discutiremos o assunto com o próximo presidente”, colocou JB.

 

Belivaldo


O ex-governador ressaltou o trabalho que vem sendo desenvolvido por Belivaldo Chagas à frente do Governo do Estado. “Belivaldo tem sido competente, principalmente com relação aos salários dos servidores. A receita tem melhorado. Ele marcou um gol de placa, resolvendo a questão dos policiais reformados. Achavam que não tínhamos condições de fazer mais nada no Estado e estão todos surpreendidos com tudo o que estamos fazendo”, ressaltou Jackson.