08/10/2018 as 08:06

Eleições 2018

40 prisões e R$ 63 mil apreendidos em Sergipe

Ministério Público Eleitoral deverá ingressar com processos criminais.


40 prisões e R$ 63 mil apreendidos em SergipeFoto: Ronald Dória

Após 40 prisões e R$ 63 mil apreendidos no último final de semana, o Ministério Público Eleitoral vai investigar as suspeitas de compra de votos e propaganda de boca, conforme as forças policiais identificaram nestas eleições.


Para o JORNAL DA CIDADE, a procuradora-geral eleitoral, Eunice Dantas, detalhou que, com o resultado das atuações, serão tomadas as medidas cabíveis. “Um é o criminal, no qual vão ser instaurados os inquéritos criminais. Esses inquéritos vão correr perante as zonas eleitorais, então vai ser um inquérito que irá tramitar entre o promotor e a Polícia Federal”, explicou.


Sobre o procedimento, Eunice Dantas acrescentou ainda que encerrado o inquérito e havendo indícios do crime será oferecida uma denúncia. “E pela Procuradoria Regional Eleitoral vai tramitar um Procedimento Preparatório Eleitoral, no qual nós vamos ouvir as pessoas envolvidas e, ao final, entendendo que houve compra de voto, aí será oferecida uma representação eleitoral por captação ilícita de sufrágio. E essa representação poderá levar à cassação do registro do mandato e à inelegibilidade por oito anos”, frisou.


Investigações
Dessa maneira, com as explanações de Eunice Dantas, a suspeita de compra de votos gera duas investigações simultâneas. A instauração de inquérito policial para investigação do crime eleitoral de compra de voto, que é acompanhado pelo promotor eleitoral do município.


Já na Procuradoria Regional Eleitoral, será instaurado o Procedimento Preparatório Eleitoral para investigar o ilícito eleitoral de captação ilícita de sufrágio. Nessa seara, conforme apontou Eunice Dantas, o processo pode gerar a cassação do registro do mandato e inelegibilidade por oito anos. Tanto os candidatos envolvidos quanto as pessoas presas serão investigados para apurar a responsabilidade pela compra de voto.

Casos registrados
Segundo as informações do Ministério Público, através da Polícia Militar de Sergipe, foram registrados casos suspeitos em 19 municípios, são eles: Aracaju, Brejo Grande, Canindé de São Francisco, Capela, Cumbe, Frei Paulo, Itabaiana, Itabi, Lagarto, Laranjeiras, Neópolis, Nossa Senhora do Socorro, Pirambu, Propriá, Riachão do Dantas, Santa Luzia do Itanhy, Santo Amaro das Brotas e São Cristóvão.

Mayusane Matsunae/Equipe JC