01/11/2018 as 08:17

Nova plataforma

“Observatório da Democracia” está funcionando

De acordo com o Observatório, o conteúdo terá compromisso com o conhecimento científico e com a democracia.


“Observatório da Democracia” está funcionandoFoto: Arquivo

Pesquisadores, professores, alunos da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e pessoas da sociedade em geral criaram um “Observatório da Democracia UFS”, uma plataforma virtual, com a finalidade de observar a democracia no dia a dia e a partir de seus sentidos constitucionais, considerando a vigência do estado de direito, os tratados internacionais de direitos humanos e as experiências individuais e coletivas da vida em sociedade.


A equipe de reportagem do JORNAL DA CIDADE acessou a plataforma e constatou que o grupo pretende produzir dados a partir de pesquisas. “Reunindo e sistematizando informações já existentes na internet; noticiando manifestações antidemocráticas produzidas por pessoas, por grupos, por empresas privadas e pelas diferentes esferas do governo, seja antes, durante ou depois dos processos eleitorais; orientando pessoas e grupos vítimas de abusos cometidos por outros e que firam seus direitos e as normas constitucionais vigentes e os tratados internacionais de direitos humanos”, registrou a equipe.


De acordo com o Observatório, o conteúdo terá compromisso com o conhecimento científico e com a democracia. “O formato é o da nucleação de grupos de pesquisa, professores e colaboradores em torno do monitoramento da democracia, que cederão bancos de dados, informações sobre pesquisas relacionadas aos direitos humanos, minorias sociais, violências, aplicação das normas legais do estado de direito, funcionamento das instâncias e de serviços governamentais, práticas e usos da informação, da propaganda e da comunicação”, sinaliza o portal.


O interessado em conhecer e obter mais informações sobre o assunto pode acessar o observatoriodademocraciaufs.blogspot.com. “A plataforma também será ambiente para disseminação de conteúdos sobre democracia, bem como produzirá orientação às pessoas que se sintam ameaçadas ou constrangidas em seus direitos constituídos”, conclui a equipe.