09/11/2018 as 08:02

Decisão

Tribunal de Contas já conhecia os problemas do Hospital Cirurgia

Sobre a decisão, a conselheira Susana Azevedo destacou na sessão do TCE a decisão acertada do MP e da Justiça Estadual.


Tribunal de Contas já conhecia os problemas do Hospital CirurgiaFoto: TCE-SE

Ontem, durante a sessão do pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE), o colegiado analisou a decisão da Justiça referente ao pedido de afastamento imediato da diretoria do Hospital Cirurgia. Na oportunidade, a conselheira Susana Azevedo comentou “retirando da direção as pessoas que nós já tínhamos conhecimento de tudo que faziam”.


Conforme o JORNAL DA CIDADE vem acompanhando, uma decisão judicial de caráter liminar determinou o afastamento da diretoria do Hospital Cirurgia no prazo de 24 horas por apontar irregularidades na unidade, como improbidade administrativa e desvio de finalidade de objeto para o qual foi constituída a fundação beneficente. Além disso, a denúncia provocada pelo Ministério Público de Sergipe (MP) apontou ainda sobre movimentações financeiras atípicas, inadimplência com relação às verbas trabalhistas e disparidades salariais. Dessa maneira, de acordo com o magistrado, atestando má-fé da entidade.


Sobre a decisão, a conselheira Susana Azevedo destacou na sessão do TCE a decisão acertada do MP e da Justiça Estadual. “A partir de agora, o hospital vai começar a caminhar e realmente resolver os problemas que estavam se acumulando, retirando da direção do Cirurgia as pessoas que nós já tínhamos conhecimento de tudo que faziam. Para se ter uma ideia, o Estado enviou R$ 5 milhões para fazer o bunker e receber a nova máquina de radioterapia e ninguém sabe onde foi parar”, disse.


Ainda na sessão, a conselheira também mencionou uma outra quantia que se desconhece o paradeiro. “Depois o deputado federal André Moura (PSC) conseguiu mais R$ 7,5 milhões do Ministério da Saúde e até agora ninguém sabe o que foi feito com isso. O bunker não está pronto para receber a nova máquina”, acrescentou.


A conselheira Susana Azevedo demonstrou preocupação referente à atual aparelhagem do Hospital Cirurgia. “Uma máquina dos anos 70. Eu nem sei se essa máquina está curando. A máquina da Clinradi, por exemplo, é a mesma do Sírio Libanês. Ou seja, tecnologia de ponta”, registrou.


Assim como Susana Azevedo, a conselheira Angélica Guimarães aproveitou para reforçar a importância da decisão judicial que saiu esta semana. “Inclusive também louvo a iniciativa do secretário estadual da Saúde com relação à abertura de mais vagas para pacientes oncológicos na Clinradi. O governo acertou”, pontuou.

Por Mayusane Matsunae/Equipe JC