11/01/2019 as 07:59

mercado

Petrobras inicia licitação que visa arrendar a Fafen

Procedimento vai habilitar empresas interessadas em participar do processo


Ontem a Petrobras iniciou a etapa de pré-qualificação para licitação de arrendamento da Fábrica de Fertilizante Nitrogenados de Sergipe (Fafen-SE), assim como da outra unidade localizada na Bahia. O procedimento visa habilitar empresas que tenham interesse em participar de licitações futuras. Sobre o tema, o Governo do Estado sinaliza temer o cenário do mercado de fertilizantes e expôs que a expectativa é que a estatal mantenha a operação.


De acordo com o material encaminhado pela estatal, a medida é uma continuidade à Comunicação ao Mercado de 30 de outubro do ano passado. “A transferência da operação depende da existência de interessados habilitados na etapa de pré-qualificação e da realização do processo de licitação, ainda sujeita à aprovação da Diretoria Executiva da Petrobras. O processo seguirá os ritos e atos da lei federal 13.303/2016 (Lei das Estatais)”, informa.


Para o JORNAL DA CIDADE, Oliveira Júnior, assessor de Política de Desenvolvimento do governador, conta que a Petrobras só sinalizou a continuidade do processo. “Dei uma olhada detalhada no edital. Então, outubro, de fato, foi a última reunião. Aí ela informou que buscaria uma alternativa de arrendamento. A empresa oficializou que está em busca de parceiros que se candidatem a manter a operação da Fafen”, explica.


Segundo Oliveira Júnior, a expectativa que o Governo de Sergipe tem é que a melhor saída seja a operação. “Continua sendo esta! A nossa avaliação é que a Petrobras mantenha. Até porque a gente entende que os resultados negativos não chegam a afastar a importância que a planta tem para Sergipe e para a agricultura do Brasil. Então, continuamos temerosos do que pode acontecer com o mercado de fertilizantes”, expôs.


Ainda com o JC, o assessor do governador afirma que a administração estadual acredita no patrimônio importante que a Fafen representa. “E é relevante para a cadeia da agricultura. Esperamos que essa decisão ainda sofra mediações nessa direção de reconhecer a importância da produção de ureia”, acredita.


Com o procedimento em andamento para interessados em arrendar a planta, o Governo do Estado pontua que o momento é inteiramente no âmbito da Petrobras. “O processo em si é de saber se existem interessados em arrendar a planta. Ela não hibernaria, mas passaria para terceiros. A gente tem que aguardar”, concluiu Oliveira Júnior.

A unidade
Conforme registrou a Petrobras, a Fafen-SE é uma unidade de fertilizantes nitrogenados com a capacidade de produção total de ureia de 1.800 t/dia. “Também comercializa amônia, gás carbônico e sulfato de amônio (também usado como fertilizante)”, descreveu a estatal.

Por Mayusane Matsunae/Equipe JC