08/02/2019 as 08:06

Carreta/prevenção

“Mulheres do Peito” esperam “justificativa lógica”

De acordo com a representante do Mulheres de Peito, a expectativa é que o secretário Valberto de Oliveira Lima compareça ao TCE


“Mulheres do Peito” esperam “justificativa lógica”Foto: Reprodução

Após a Corte do Tribunal de Contas do Estado (TCE) confirmar que será feita a convocação do gestor da Secretaria Estadual da Saúde, a representante do grupo Mulheres de Peito, Sheyla Galba, espera que “uma justificativa lógica” seja dada. “Em duas audiências do Ministério Público ele [secretário Valberto de Oliveira Lima] não apareceu em nenhuma. A gente espera que pelo menos no TCE ele compareça”, acredita.


Conforme o JORNAL DA CIDADE acompanhou a sessão de ontem da Corte, as integrantes do Mulheres de Peito estavam presentes aguardando um posicionamento e orientação do TCE – órgão que direcionou o recurso para a construção do projeto “carreta do câncer”, voltado para o trabalho preventivo contra o câncer no público feminino. Vestidas na cor preta, simbolizando um luto pela demora na entrega do veículo, o grupo chamou a atenção dos conselheiros.


“Nós tivemos na última sessão em dezembro do ano passado, quando foi decidido que o TCE mandaria uma cautelar para o secretário da Saúde com um prazo de 30 dias para colocar essa carreta funcionando no Estado. Já se passaram os dias e viemos aqui [no TCE] para saber em que pé anda isso. Só que Bandeira falou que a cautelar foi enviada agora recentemente, então ainda está no prazo”, disse Sheyla Galba, representante do Mulheres de Peito.


Sheyla Galba explicou que o recurso para o projeto foi do TCE. “Destinado para compra de duas carretas. Uma foi comprada e paga, a outra não. Uma carreta maravilhosa que faz ultrassonografia, mamografia, toda dentro dos padrões solicitados pelo edital da Secretaria da Saúde, que foi aprovado pela Anvisa”, pontuou.


De acordo com a representante do Mulheres de Peito, a expectativa é que o secretário Valberto de Oliveira Lima compareça ao TCE. “Já foram duas vezes que ele foi solicitado para que vá ao Ministério Público. A gente espera que, pelo menos, no TCE ele apareça e dê uma justificativa lógica porque não compra essa carreta”, cobrou.


Galba contou ainda que o gestor da Saúde já havia sinalizado que o pagamento não seria feito com a carreta fora do Estado. “Então, nós trouxemos a carreta. E agora qual é a desculpa? São desculpas que estão apresentando para gente e não admitimos mais. A carreta já está plotada”, ponderou.

Urgência
Ainda segundo Sheyla Galba, atualmente, Sergipe possui uma lista de 675 mulheres precisando fazer exames preventivos. “A lista está comigo. Infelizmente, tem um tabu de que a mamografia dói. Então, as mulheres têm medo de procurar o médico. Mas quando a carreta está na região elas se sentem na obrigação de fazer o exame. Por isso, nós temos esses nomes. Há ainda mulheres que nunca fizeram também. Vale lembrar que o Estado oferece outra opção, mas demora muito e ainda há o imprevisto de máquinas que quebram”, reforçou.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.