06/05/2019 as 07:54

Entrevista/Diná Almeida

“Eu venci a eleição sem dar ouvidos a falácias”

A deputada estadual Diná Almeida, estreante na Assembleia Legislativa, revelou nesta entrevista para o JORNAL DA CIDADE que é defensora do governo de Belivaldo Chagas. É tanto que chama atenção quando diz “os cães ladrando e a caravana passando” para traçar o perfil do gestor da máquina da administração estadual. Logicamente, oriunda de Tobias Barreto e, inclusive, esposa do prefeito Diógens Almeida (MDB), a parlamentar aproveitou para traçar o cenário político do município, assim como as eleições do próximo ano. Com o foco no mandato legislativo, ela registrou ainda que vem mantendo a postura adotada desde a eleição que venceu “sem dar ouvidos a essas falácias”, ao responder às críticas do deputado Dilson de Agripino (PPS), e apontou que está se familiarizando com a função que exerce. Confira o conteúdo completo:


“Eu venci a eleição sem dar ouvidos a falácias”Foto: Assessoria parlamentar

JORNAL DA CIDADE - Como a senhora avalia a gestão do governador Belivaldo Chagas (PSD)?
DINÁ ALMEIDA - De forma bastante resumida, eu diria que é uma gestão propositiva, assertiva. O governador não se distrai com os “cães ladrando e a caravana passando”, ele é focado, decidido e determinado e sua gestão reflete essas características. É claro que, mesmo com tais características, a gestão enfrenta uma estagnação financeira que compromete o andamento das ações e, muitas vezes, destoa do desejo do gestor. Mas Belivaldo tem mostrado que tem pulso para enfrentar esse momento.

JC - Esse quadro de crise financeira que atinge o Governo de Sergipe inviabiliza o governador Belivaldo Chagas? Por quê?
DA - Não inviabiliza, pelo contrário. Mostra que é possível apresentar novas formas de governabilidade, nas quais a criatividade e o espírito público devem prevalecer. Dizem que são nas dificuldades que crescemos e tenho certeza de que o governador e o Estado de Sergipe seguirão essa máxima.

JC - Como a senhora analisa a política em Tobias Barreto?
DA - Nós temos um povo bastante politizado e também polarizado entre dois grandes grupos, como acontece em outros municípios do interior sergipano, com a singularidade de que, em Tobias, o povo está mostrando que a velha política vem perdendo força e abrindo caminho para uma nova forma de administrar, gerir e legislar. Essa é a prova de que o tobiense gosta de política e a leva a sério.

JC - E a administração municipal? A senhora acredita que, na próxima eleição de 2020, o cenário irá mudar?
DA - A gestão que Diógenes Almeida (MDB) vem fazendo em Tobias, assim como a do governador Belivaldo, guardadas as proporções, também é bastante propositiva. Diógenes é um político nato, mas também um administrador técnico, preocupado e sincero. Por isso, não está pensando em eleição ainda. Acabamos de sair de um pleito eleitoral, no qual, graças a Deus e ao povo, fomos vitoriosos e agora é hora de focar em projetos, em trabalho, até porque não estamos na política apenas por estar. Estamos na política porque temos um propósito com o povo de Tobias Barreto e de Sergipe.

JC - Por falar em eleição, há pretensão de candidatura? Por quê?
DA - Como eu falei, acabamos de sair de um pleito eleitoral. Eu, particularmente, assumi esse ano o mandato de deputada estadual. Portanto, está cedo para outras conjecturas. Nosso objetivo agora é o de apresentar projetos, soluções que melhorem a vida do povo, seja de Tobias Barreto ou do Estado.

JC - Em uma entrevista publicada no JC na edição do final de semana dos dias 13 e 14 de deste mês, o deputado Dilson de Agripino (PPS) afirmou que “o povo de Tobias Barreto está sofrendo demais, graças ao retrocesso instalado”. É verdade isso? Por quê?
DA - Eu venci a eleição sem dar ouvidos a essas falácias e assim pretendo continuar. Eu disse que há uma grande polarização em Tobias, mas acho que é preciso deixar o palanque e trabalhar, ajudar a resolver o que ele chama de sofrimento, como Diógenes está fazendo: retomando obras paradas, reformando e ampliando escolas e Unidades de Saúde, praças e quadras, buscando efetivamente – e não apenas no discurso – solucionar o problema das rodovias que circundam o município etc. É claro que há dificuldades! Os municípios, de fato, passam por uma crise financeira e isso não é novidade para ninguém. Mas, em momento algum, o prefeito Diógenes Almeida usou isso como argumento para cruzar os braços. Pelo contrário, o próprio governador Belivaldo Chagas já comentou sobre a busca incessante de Diógenes, seja no Estado ou em Brasília, de recursos e projetos que melhorem a cidade de Tobias Barreto e a vida de seu povo. Eu sou testemunha disso.

JC - Sobre a sua atuação na Assembleia, como vem sendo feita? Há algum projeto a ser apresentado?
DA - Estou estreando na Assembleia e tenho muita humildade para dizer que estou me familiarizando com a atividade legislativa, mas mesmo assim já dei entrada em cerca de 20 indicações, todas elas solicitando serviços importantes, como recapeamento asfáltico, drenagem da barragem, ampliação de UPA, reconstrução de rodovias, implantação de uma delegacia da mulher em Tobias etc. Fui votada nos 75 municípios e, embora eu viva em Tobias e tenha minha base política lá, trabalharei pelo Estado. Minha bandeira é Sergipe. E construiremos esse mandato com a ajuda de todos que, assim como eu, querem melhorar seu município e seu Estado, de modo coletivo, com respeito à coisa pública e, principalmente, a cada um dos meus 20.168 eleitores.