15/05/2019 as 08:00

Crise financeira

Belivaldo diz que Bolsonaro anunciou plano de recuperação

Segundo o governador de SE, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não demonstrou fazer nenhuma exigência política para os Estados.


Belivaldo diz que Bolsonaro anunciou plano de recuperaçãoFoto: ASN/Divulgação

O governador Belivaldo Chagas (PSD) revelou que o Governo Federal deve apresentar um plano de recuperação fiscal para ajudar os Estados, desde que atendam metas, que estão passando por crise financeira. A assertiva do gestor foi feita ontem, durante entrevista no programa de rádio “Jornal da Fan”.


Segundo Belivaldo Chagas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não demonstrou fazer nenhuma exigência política para os Estados. “Deve apresentar um plano de recuperação fiscal, que vai estabelecer metas. O Estado que atender, vai ter acesso a recursos”, contou.


Belivaldo também aproveitou e comentou o encontro que teve com o presidente em Brasília na semana passada. “O clima foi descontraído. Amor à primeira vista. Já desci do palanque e não tenho nenhuma dificuldade no relacionamento com o presidente”, expôs.


Ainda na entrevista, Belivaldo tratou das dificuldades financeiras enfrentadas na gestão. “Estamos buscando todos os meios possíveis de garantir a boa governabilidade. Há tratativas para ações de crédito que possibilitem a chegada de cerca de R$ 200 milhões. Com esses recursos, a prioridade é recuperar rodovias estaduais, como a que a liga Lagarto a Riachão da Dantas e a que liga Pinhão a Poço Verde”, pontuou.


O governador aproveitou ainda para revelar que Carlos Felizola, secretário Geral de Governo, vai viajar para Brasília, onde terá uma reunião com representantes do Banco Mundial para conseguir recursos da ordem de R$ 500 milhões com a finalidade de realizar obras no Estado.


Eleição 2020
Ao ser questionado sobre a previsão da eleição municipal do próximo ano, o governador foi sucinto ao assegurar discutir apenas no momento certo e preferiu não comentar sobre possibilidade de rompimento de alianças políticas. “Não sou padre para fazer casamento, nem juiz para desmanchar. Tenho uma excelente relação com todos. O meu desejo é que continuemos juntos, mas agora estou preocupado em governar com todos e para todos”, concluiu.