29/05/2019 as 08:27

Turismo

Georgeo Passos cobra retorno de investimentos

O parlamentar ressaltou que os gastos não deram retorno ao turismo em Sergipe, no que tange a melhorias estruturantes, visto o esvaziamento dos hotéis por parte dos turistas.


Georgeo Passos cobra  retorno de investimentosFoto: Divulgação

O deputado estadual Georgeo Passos (Rede) ocupou a tribuna na sessão plenária desta terça-feira, 28, para registar a ocorrência de uma denúncia que circulou no JORNAL DA CIDADE desta semana e que envolve a Secretaria de Turismo de Sergipe (Setur). Segundo questionou o parlamentar, a matéria do jornal destaca que exatos R$ 23 milhões foram gastos pela Setur com a finalidade de dotar o Estado de melhor desenvolvimento no turismo.


O parlamentar ressaltou que os gastos não deram retorno ao turismo em Sergipe, no que tange a melhorias estruturantes, visto o esvaziamento dos hotéis por parte dos turistas. “Vamos buscar da Setur respostas, verificar com o que foram gastos esses recursos. Estamos tratando de execução, e não de empenho. É um dinheiro que já foi gasto. Queremos conhecer essas empresas que prestaram consultorias, vamos levantar essas informações. Essa casa tem o papel constitucional de fiscalizar esses recursos. São R$ 23 milhões utilizados em consultoria, e vamos convidar as pessoas envolvidas a vir prestar esclarecimentos”, avisou o parlamentar.


Segundo ainda destacou o deputado, todo o dinheiro utilizado pela Setur ter origem do Bird. “Quando nos deparamos com essa denúncia, observamos que diversas empresas foram contratadas pela secretaria com o objetivo de desenvolver o turismo do Estado. Infelizmente os resultados não são bons, ao invés de melhorar o turismo vemos hotéis perdendo clientes e locais de turistas com menos pessoas. O dinheiro advém do Bird e essa casa precisa fazer aprofundamento do uso de todo esse valor”, disse.


O líder do governo Zezinho Sobral (Pode) se pronunciou sobre a denúncia do jornal. Disse que embora a denúncia ter partido de um único veículo, importantes obras foram realizadas pelo governo e por meio do Programa Regional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), e que potencializaram o turismo local. “Temos que ver a questão do Prodetur, como ele foi originalmente proposto, como foi feito o contrato e qual a base de execução.

Sobre isso, o que ocorreu no ano de 2016 foi uma introdução de obras, pois originalmente o contrato não tinha previsão. Foi feito um aditamento para construção de novas obras, a exemplo a da orlinha de Canindé, a de Escurial, entre outras obras. Acho interessante utilizar um espaço para expor as ações de obras importantes que foram realizadas”, colocou o deputado.