30/05/2019 as 08:05

Poder executivo

Georgeo Passos cobrou mais atenção aos servidores estaduais

O deputado lembrou que no dia 1º de maio é comemorado o Dia do Trabalhador e afirma que o mês está sendo encerrado sem qualquer alegria para alguns trabalhadores do Executivo.


Georgeo Passos cobrou mais atenção aos servidores estaduaisFoto: Jadilson Simões

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) ocupou a tribuna do Poder Legislativo ontem para apelar ao governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), a olhar para os servidores do Poder Executivo, dando-lhes a garantia de terem, em seus vencimentos efetivos, o valor líquido de um salário mínimo. Na ocasião, o parlamentar apresentou durante a sessão plenária o contracheque de uma servidora pública que tem em seu vencimento líquido efetivo o valor de R$ 700.


O deputado lembrou que no dia 1º de maio é comemorado o Dia do Trabalhador e afirma que o mês está sendo encerrado sem qualquer alegria para alguns trabalhadores do Executivo. “Como todos sabem, recentemente os trabalhadores do Tribunal de Contas conseguiram a recomposição da inflação, teve projeto de lei aprovado por essa Casa. Semelhante, os servidores do Tribunal de Justiça e do Ministério Público, e até mesmo essa casa legislativa. Mas, durante cinco anos, os servidores do Executivo não conseguiram nada. As perdas acumuladas já superam 40%. O mês de maio está encerrado e o governo não enviou nada de bom para esses servidores”, registrou o parlamentar.


Na ocasião, o deputado apresentou um contracheque de uma servidora pública, o demonstrativo salarial foi exibido no telão do plenário legislativo. “Vejam o contracheque da pessoa com nome e secretaria omitido (apesar de documento ser público). O vencimento base dessa servidora é de R$ 700. Não é um caso isolado. São vários servidores que estão nessa mesma situação, onde o vencimento básico é menos que um salário mínimo”, lamentou o deputado Georgeo.


Georgeo ressaltou que “o que mais lhe chama a atenção é o fato de o governo dizer que isso está certo. Pois o salário mínimo é somado à gratificação. Mas essa gratificação não vai para a aposentadoria. Indago: por que não corrigir o vencimento efetivo desses servidores, garantindo o mínimo?”, frisou, enfatizando ainda que “governo não consegue dar a recomposição da inflação desse salário de miséria”, salientou.

Perícia
De acordo com o parlamentar, a servidora pública, diante das frustrações que passa diante da condição salarial, toma remédio controlado. “Ela diz que não tem ânimo de trabalhar, pois a saúde mental está abalada. Fomos atrás e temos o diagnóstico de que o Poder Executivo tem o número de 1.630 servidores afastados por condições de saúde. E desse total, em 359 o motivo é por transtornos mentais. Os números são maiores, muitos servidores ficam no trabalho para não perder a gratificação, que fica cortada no afastamento”, apontou o deputado.

Apelo
Georgeo disse estar solidário aos servidores e na ocasião de sua exposição na tribuna fez um apelo a Belivaldo Chagas: “Até quando o governador vai tratar os servidores do Executivo desse jeito? Ele, na reforma administrativa, fez reduções, cortou cargos comissionados, mas o vencimento do servidor continua abaixo do salário mínimo. Fica aqui a nossa solidariedade com os funcionários do Estado. Apelo, nesse mês de maio que iniciou em homenagem ao trabalhador, que Belivaldo Chagas verifique a possibilidade de melhorar a vida dos servidores do Poder Executivo. Pois somente um único servidor público conseguiu aumento salarial esse ano, que foi o próprio governador de Sergipe, Belivaldo Chagas. Ele quer ter um salário igual a de um desembargador”, relatou o deputado.