02/07/2019 as 08:14

MAIS PROCURADOS

Maria do Carmo lamenta Sergipe fora da lista

Ministério apontou Maceió, Fortaleza e Natal como principais destinos em junho e julho.


Maria do Carmo lamenta Sergipe fora da listaFoto: Jonas Pereira

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) lamentou ontem que, apesar de toda a riqueza cultural e das belezas naturais, o Estado de Sergipe tenha ficado fora da lista dos destinos brasileiros mais procurados em junho e julho. A informação consta em uma pesquisa inédita divulgada pelo Ministério do Turismo (MTur), segundo a qual Fortaleza (CE), Maceió (AL) e Natal (RN), as três capitais no Nordeste, lideram o ranking dos locais mais buscados pelos turistas nacionais para as férias de junho e julho.


Um fato curioso, de acordo com a senadora, é que, segundo a pesquisa, quase a metade dos clientes das agências de viagens que responderam a sondagem fazem a opção por viajar para locais que tenham sol e praia. “Ou seja, estamos de falando de Sergipe, pois temos sol praticamente o ano inteiro e invejáveis praias na capital e em municípios próximos, como a praia do Saco, Abaís, Caueira, Pirambu, Atalaia Nova. Isso, sem falar no nosso Cânion de Xingó, em Canindé de São Francisco, e na riqueza histórica de cidades como São Cristóvão e Laranjeiras”, citou Maria.


Ela defendeu uma política de turismo mais agressiva e estratégica para que o Estado seja colocado no roteiro nacional e atraia brasileiros e estrangeiros. Maria lembrou que o turismo é mola propulsora do incremento em todos os setores, sobretudo no que se refere à geração de emprego e renda. “Turismo é vetor do desenvolvimento. Não podemos esquecer isso. O Estado deve implementar uma política assertiva, considerando essa perspectiva, pois é o caminho mais curto para sair da crise financeira em que se encontra”, disse a senadora.


A democrata citou que o Banco Central, em recente estudo, mostrou que nos últimos dez anos o turismo sempre esteve entre os dez principais itens na pauta do país. O setor representa cerca de 6% do Produto Interno Bruto do país e gera algo em torno de nove milhões de empregos diretos. Para ela, algumas medidas como a conclusão da reforma do Centro de Convenções, fechado há um bom tempo, configura-se uma saída importante para voltar a atrair grandes eventos, o que, naturalmente, gera o impulsionamento da economia do Estado. “Não podemos continuar como está, porque o reflexo é sentido em todos os setores economicamente ativos”, alertou a senadora sergipana.


Há pouco mais de um mês, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Sergipe (Abih-SE), Antônio Carlos Franco Sobrinho, em audiência pública na Câmara Municipal de Aracaju, lamentou o problema e revelou a falta de divulgação do destino Sergipe, o que leva o Estado a dever no quesito turismo. “O destino Sergipe hoje é um produto que concorre diretamente com cidades como Maceió e Fortaleza”, falou Antônio Carlos, à época.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.