02/07/2019 as 08:14

MAIS PROCURADOS

Maria do Carmo lamenta Sergipe fora da lista

Ministério apontou Maceió, Fortaleza e Natal como principais destinos em junho e julho.

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

Maria do Carmo lamenta Sergipe fora da listaFoto: Jonas Pereira

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) lamentou ontem que, apesar de toda a riqueza cultural e das belezas naturais, o Estado de Sergipe tenha ficado fora da lista dos destinos brasileiros mais procurados em junho e julho. A informação consta em uma pesquisa inédita divulgada pelo Ministério do Turismo (MTur), segundo a qual Fortaleza (CE), Maceió (AL) e Natal (RN), as três capitais no Nordeste, lideram o ranking dos locais mais buscados pelos turistas nacionais para as férias de junho e julho.


Um fato curioso, de acordo com a senadora, é que, segundo a pesquisa, quase a metade dos clientes das agências de viagens que responderam a sondagem fazem a opção por viajar para locais que tenham sol e praia. “Ou seja, estamos de falando de Sergipe, pois temos sol praticamente o ano inteiro e invejáveis praias na capital e em municípios próximos, como a praia do Saco, Abaís, Caueira, Pirambu, Atalaia Nova. Isso, sem falar no nosso Cânion de Xingó, em Canindé de São Francisco, e na riqueza histórica de cidades como São Cristóvão e Laranjeiras”, citou Maria.


Ela defendeu uma política de turismo mais agressiva e estratégica para que o Estado seja colocado no roteiro nacional e atraia brasileiros e estrangeiros. Maria lembrou que o turismo é mola propulsora do incremento em todos os setores, sobretudo no que se refere à geração de emprego e renda. “Turismo é vetor do desenvolvimento. Não podemos esquecer isso. O Estado deve implementar uma política assertiva, considerando essa perspectiva, pois é o caminho mais curto para sair da crise financeira em que se encontra”, disse a senadora.


A democrata citou que o Banco Central, em recente estudo, mostrou que nos últimos dez anos o turismo sempre esteve entre os dez principais itens na pauta do país. O setor representa cerca de 6% do Produto Interno Bruto do país e gera algo em torno de nove milhões de empregos diretos. Para ela, algumas medidas como a conclusão da reforma do Centro de Convenções, fechado há um bom tempo, configura-se uma saída importante para voltar a atrair grandes eventos, o que, naturalmente, gera o impulsionamento da economia do Estado. “Não podemos continuar como está, porque o reflexo é sentido em todos os setores economicamente ativos”, alertou a senadora sergipana.


Há pouco mais de um mês, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Sergipe (Abih-SE), Antônio Carlos Franco Sobrinho, em audiência pública na Câmara Municipal de Aracaju, lamentou o problema e revelou a falta de divulgação do destino Sergipe, o que leva o Estado a dever no quesito turismo. “O destino Sergipe hoje é um produto que concorre diretamente com cidades como Maceió e Fortaleza”, falou Antônio Carlos, à época.