03/07/2019 as 08:10

FUNDEB

Municípios registram queda na receita

Gestores da Educação dos 75 municípios de Sergipe se reuniram ontem no TCE com a finalidade de aprimorar e elevar o desempenho da área.


Municípios registram queda na receitaFoto: Divulgação

Municípios sergipanos registraram queda na receita do Fundeb, entre eles Aracaju, onde a variação negativa foi de 3,28%, saindo de R$ 119 milhões no ano passado para R$ 115 milhões neste ano. A informação é de Paulo Parente Lira, consultor em gestão da educação básica, que realizou uma palestra ontem no Tribunal de Contas do Estado de Sergipe. Ele ainda destacou o baixíssimo valor repassado pelo Governo Federal para alimentação e transporte escolar, inferior a R$ 0,50 por aluno.


Gestores da Educação dos 75 municípios de Sergipe se reuniram ontem no TCE com a finalidade de aprimorar e elevar o desempenho da área. Na oportunidade, também estavam presentes prefeitos, técnicos do órgão controlador, membros do Ministério Público de Contas, assim como interessados no tema.


Nesse primeiro momento, o workshop da Educação, conforme foi chamado, contou com a participação de palestrantes de destaque nacional, como Paulo Lira, que fez um trabalho no Ceará, ajudando a elevar o Ideb de lá a um patamar de destaque no país. Além dele, o conselheiro do TCE do Rio Grande do Sul, Cezar Miola, que preside o Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa.


De acordo com o presidente do TCE, Ulices de Andrade, o workshop propicia debater políticas públicas exitosas. “Assim buscaremos refletir quanto à qualidade das ações efetuadas em Sergipe no âmbito educacional. É fundamental que eventuais desperdícios sejam evitados e os recursos destinados a esta área sejam otimizados. Afinal, todo cidadão tem direito a uma educação qualificada, que satisfaça suas necessidades básicas de aprendizagem”, pontuou.


Para elucidar e contribuir com cenário da Educação em Sergipe – inclusive, que atualmente está com nota 4,3 do Ideb, onde a meta é 4,5 –, o consultor Paulo Lira destacou que há uma possibilidade de obter um investimento maior na área e mencionou o Estado de Minas Gerais, como exemplo. O palestrante salientou, na verdade, o período de crise financeira que os entes federados enfrentam.


“Um caminho é readequar a receita com a municipalização do ensino fundamental. Na minha ótica, é a salvação de Minas. Vai resolver o problema da secretaria de Estado e vai ajudar os municípios”, defendeu, durante a explanação do tema “Cenário Atual e Desafios da Gestão da Educação Básica Pública Municipal”.


Paulo Lira expôs ainda que os desafios para a educação municipal são a legislação tributária nacional que compromete as receitas próprias das prefeituras; os eventuais incentivos fiscais estaduais que subtraem recursos dos municípios, além do limitado poder de arrecadação das pequenas cidades.


Já a segunda palestra foi “A Concretização do Direito Fundamental à Educação: dever de todos”, conduzida pelo conselheiro do TCE do Rio Grande do Sul, Cezar Miola.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.