02/07/2018 as 17:12

Saúde

Huse registra 104 vítimas de queimaduras durante o mês de junho

O número é considerado maior se comparado ao mesmo período do ano passado.


Huse registra 104 vítimas de queimaduras durante o mês de junhoFoto: André Moreira/Equipe JC

De 1 a 30 de junho, o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) registrou 104 atendimentos a vítimas de queimaduras de forma geral. Desse total, 38 foram referentes aos períodos de São João e São Pedro (23 e 24, 28 e 29) respectivamente. Foram 48 vítimas que sofreram queimaduras por fogos de artifício, sendo que 29 foram crianças e 19 adultos. Um número considerado maior se comparado ao mesmo período do ano passado referente a crianças queimadas pelo manuseio por fogos de artifício que atingiram 19 crianças e 29 adultos.

A coordenadora da Cirurgia Plástica do Huse, Moema Santana, ressaltou a preocupação do aumento dos casos envolvendo crianças. “É muito preocupante esses dados, o ano passado tivemos um resultado de número maior envolvendo adultos. Inclusive a maior parte dos nossos internamentos de casos mais graves foram por conta de crianças, algumas internadas na UTQ. Crianças vítimas de queimaduras com chuvinha, vítimas de buscapé, queda em fogueira, amputação de dedos por fogos de alto teor explosivo. Muitos casos faltaram a supervisão de um adulto ou responsável”, explicou.

A queimadura em criança é mais sensível e a gravidade é maior que em adulto. Na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), a maioria dos internamentos foram envolvendo crianças, somente um adulto envolvido com fogos de artifício ficou nas dependências da UTQ. O que chamou atenção foi o número de amputação, principalmente na véspera de São João que somaram 8. As sequelas de uma queimadura são graves e em amputação é irreversível.

A vendedora Cristiane Lopes, moradora do município de Brejo Grande, está acompanhando a sobrinha L.L, 9, que está internada na UTQ depois de ser atingida por fogos de artifício. “Estávamos em uma cavalgada no município em cima do carro aberto e soltaram um foguete que desceu e atingiu minha sobrinha no braço, na perna e na barriga. Foi um susto muito grande, mas toda a assistência foi dada e agora ela se recupera bem”, disse.

Todo um preparativo foi montado para receber as vítimas que chegaram pelo Pronto Socorro do Huse. Com a finalidade de garantir agilidade na assistência e desafogar o serviço no Pronto Socorro durante os festejos juninos, foi criada uma sala exclusiva para assistência imediata às vítimas de queimaduras. O espaço serviu de apoio à UTQ, funcionou do dia 21 ao dia 30 e foi uma área destinada a essa demanda específica ainda na primeira porta de acesso ao hospital.

Além disso, uma equipe multidisciplinar formada por cirurgiões plásticos, enfermeiros e técnicos de enfermagem estive de plantão 24h para atender a demanda de queimados que chegaram ao hospital. A estrutura da UTQ também contribuiu para a assistência desses pacientes. Foram 14 leitos, sendo quatro pediátricos, dois semi-intensivos e oito para adultos, alguns leitos reservados na enfermaria da Ala D, além de um centro cirúrgico para a realização de curativos e pequenos procedimentos.