07/08/2018 as 08:14

Hepatites Virais

Continua baixa a procura pela vacina contra Hepatite B

A hepatite B é transmitida por meio de ato sexual com pessoa infectada sem o uso de preservativo, além de ser transmitida também por sangue infectado.


Continua baixa a procura pela vacina contra Hepatite BFoto: Divulgação

Apesar de a vacina contra hepatite B se encontrar disponível para a população sergipana nos postos de saúde dos municípios do Estado, a procura permanece baixa, segundo o gerente do Programa IST/Aids da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Almir Santana, o que é preocupante. Somente nos primeiros seis meses de 2018 foram 91 casos de hepatite registradas em Sergipe, sendo a maior parte a do tipo C, a mais agressiva, podendo avançar para cirrose hepática e câncer de fígado. Nesse mês de julho o país está mobilizado para campanhas de conscientização voltadas às hepatites A, B e C, como forma de alerta para a prevenção das patologias.


A hepatite B é transmitida por meio de ato sexual com pessoa infectada sem o uso de preservativo, além de ser transmitida também por sangue infectado. Esse tipo de hepatite é um pouco mais preocupante, pois além de provocar infecção no fígado pode também levar à icterícia, que é o acúmulo de pigmentação amarelada nos olhos e na pele. Outro sintoma da doença é a urina que também fica com a cor alterada, podendo chegar a um tom amarronzado, além de as fezes se manterem esbranquiçadas. Para evitar esse tipo de doença, é importante as pessoas se manterem conscientes da importância do uso da camisinha em relações sexuais.


“Estamos querendo orientar as pessoas porque muitos estão deixando de se vacinar. Precisamos alertar pois a vacina é a única forma de prevenir. A hepatite C é a mais agressiva, mas a B também pode levar à cirrose, então ela também é agressiva. Estamos estimulando porque ela pode pegar por sexo, transfusão de sangue, seringa contaminada, e pode passar da mãe para o filho”, reforça Dr. Almir Santana.


Segundo o gerente, a maioria das hepatites são assintomáticas, por isso é chamada de doença silenciosa. “Quando aparece algum sintoma é olho amarelo, urina cor de café, pele amarelada e fezes claras. É importante os profissionais da saúde se vacinarem também. Profissionais de salão de beleza, tatuadores etc”, frisou.


As vacinas de prevenção contra a hepatite B estão disponíveis em todas as unidades básicas de saúde dos municípios e serve para todas as pessoas, independentemente de idade.