27/05/2019 as 10:07

Meta de 90%

Baixa adesão da vacina contra a gripe preocupa

Se a procura permanecer baixa, não será possível cumprir a meta de 90%


A campanha de vacinação contra a gripe continua em Aracaju, no entanto, a cobertura só atingiu até o momento 60%. A baixa adesão preocupa a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA). De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), se a procura permanecer baixa não será possível atingir a meta de 90% de vacinação estipulada pelo Ministério da Saúde.


Sábado, 25, uma ação de vacinação foi realizada nos Shoppings Riomar e Jardins, em Aracaju, até às 17h. A SMS também tem mobilizado equipes para as escolas públicas em Aracaju, a fim de aumentar o índice de vacinação em crianças, público com uma das menores adesões da vacina contra a gripe.


Até o momento, a SMS registra cobertura de 57,54% em crianças, 62,23% em gestantes, 48,64% em trabalhadores da saúde, 67,38% em comorbidades, 67,98% em puérperas, 76,28% em idosos e 67,28% em professores. Esses foram os grupos classificados como de risco pelo Ministério da Saúde e por isso são os selecionados para receber a vacina.


Nesta próxima semana a SMS estará na Praça Zilda Arns, em Aracaju, com um carro itinerante a partir das 8h até meio-dia. A ação será especialmente voltada para crianças a partir de dois anos de idade. No último dia da campanha, em 31 de maio, as equipes estarão não Praça General Valadão, no Centro da cidade.


“Esperamos que as pessoas levem os filhos para serem vacinados. Há uma preocupação porque a população fica desprotegida. Ano passado morreram mais de 1.800 pessoas no país de gripe. Gripe mata, sim, por isso estamos alertando os grupos mais vulneráveis. Já começamos a ir nas escolas públicas, mas sem ajuda dos pais a gente não consegue atingir a meta”, disse o assessor de Comunicação da SMS, Victor Vieira.


Quem pode se vacinar?
Gestantes; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); indivíduos com 60 anos ou mais; trabalhadores da saúde na ativa; professores de escolas públicas e privadas; povos indígenas; pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais; além de policiais civis, militares e bombeiros ativos das forças armadas.