19/08/2019 as 11:19

Cuidados

Gestantes têm contraindicações a vacina do sarampo

Médica explica as complicações que a imunização podem causar nos bebês


Desde o mês de julho, diversas cidades do País, se depararam com uma onde casos de sarampo. Algumas prefeituras inclusive emitiram alertas à população, através de suas secretarias de saúde, falando de uma possível epidemia. Para controlar este surto, os postos de saúde iniciaram campanhas de vacinação, mas o comparecimento não tem sido suficiente. Diante deste cenário, diversas ações tem sido realizadas em estações de metrô, supermercados e locais de grande movimentação para facilitar o acesso das pessoas à imunização. 

Porém nem todos podem tomar a vacina. Mulheres gestantes, por exemplo, não podem ser imunizadas. A Dra Fernanda Torras, ginecologista, obstetra e mastologista explica que durante a gravidez, a imunidade da mulher sofre alterações, e tomar a vacina pode trazer consequências graves: “A vacina contém o vírus vivo atenuado, e, devido a imunidade mais baixa na gestação, pode levar a complicações como abortos, parto prematuro, pneumonite, insuficiência respiratória, convulsões, encefalite (infecção do sistema nervoso central) e catarata congênita nos fetos que adquiriram sarampo intra-utero, por exemplo”. 

Em caso da gestante ser infectada, o é dado suporte clínico e tratamento das complicações apresentadas: Em alguns casos, podem ser administrados anticorpos para evitar que o quadro se agrave”, diz. 

Portanto, a prevenção é a melhor forma de controle: “Sempre lavar as mãos, evitar contato com pessoas que apresentem sintomas de gripes, não compartilhar copos e utensílios e evitar colocar as mãos na boca e nariz”, recomenda.