12/07/2018 as 14:52

Veículos

Produtor vai vender etanol direto para os postos

Decisão aprovada no Senado Federal no mês passado deve mudar a política de preços do combustível.


Produtor vai vender etanol direto para os postosFoto: Jadilson Simões/Equipe JC

Foi aprovado, por 47 votos favoráveis e dois contrários, o decreto legislativo nº 61/2018, que autoriza a venda do etanol diretamente do produtor, neste caso as usinas, para os postos de combustíveis. Essa venda direta é proibida por uma resolução da Agência Nacional de Petróleo (ANP).


Com isso, o preço cobrado pelo etanol nos postos deverá ficar entre 10 e 15 % mais barato para o consumidor final.


“Isso quebra a carga acumulativa de impostos e vai beneficiar a população inteira. O etanol vai baixar diretamente na bomba. Quando você chega num posto, o dono de posto não tem interesse em vender o etanol. A margem de lucro é muito maior na gasolina”, aponta Manelito Menezes, mantenedor da Indústria Taquari, produtora de álcool e açúcar.


Ele também aponta para o maior de todos os benefícios advindos de uma procura maior pelo etanol. “Existe algo muito maior em torno disso que é  um acordo que o Brasil assinou com os Estados Unidos, em Paris, para a baixa emissão de carbono. Trata-se de melhorar o ar que respiramos”, afirma Manelito.


Atualmente, a fabricação do etanol é dividida entre o Nordeste e o Sul do país, a depender da safra. Por exemplo, atualmente, a produção está com o Sul do Brasil. Já em outubro, eles param e a Região Nordeste deve iniciar o seu processo de produção. Para Sandro de Miro, dono de uma rede de postos de combustíveis, o ganho para o consumidor é inegável, mas a fiscalização por parte dos órgãos deve ser mais forte. Ele também aponta para as dificuldades de logística das usinas no período de implantação.


“Acho que, no início, a usina vai ter dificuldadede entregar, dificuldade na logística. O estado terá dificuldade na arrecadação, mas, passada toda essa fase vai ser bom para os postos. Não tem como não associar o benefício ao consumidor, mas é preciso que as usinas tenham estrutura. A ideia é importante e vai ser benéfica ao consumidor”, explica Sandro.


O projeto é de autoria do senador Otto Alencar (PSD-BA) e susta o artigo 43 da Resolução da ANP. O objetivo é aumentar a concorrência no mercado de combustíveis e, assim, baixar o preço para o consumidor.


O texto agora segue para análise da Câmara dos Deputados e, caso seja aprovado, será enviado para a sanção do presidente da República.











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.