23/08/2018 as 14:53

Test Drive

Peugeot 2008 ganha em dirigibilidade

No último fim de semana, a coluna Test Drive ficou a bordo do Peugeot 2008, que recentemente recebeu câmbio automático à altura de suas qualidades.


No último fim de semana, a coluna Test Drive ficou a bordo do Peugeot 2008, que recentemente recebeu câmbio automático à altura de suas qualidades. Bom de venda na categoria SUV/Crossover Compacto, agora ele tem transmissão de seis marchas substituindo a de quatro. Essa nova caixa, mais leve e compacta, vem do fabricante Aisin. E seus benefícios apareceram logo nos primeiros quilômetros que rodamos com o carro, principalmente pela maior agilidade no funcionamento, comparado à caixa AT4.

Com o modo Eco do câmbio acionado (confere uma economia de 5% no consumo) e, dirigindo tranquilamente, as mudanças ocorrem abaixo das 2.000 rpm. Assim, o 2008 AT6 roda a apenas 60 km/h com a sexta engatada! Na estrada, a 120 km/h, o ponteiro do conta-giros aponta 2.800 rpm, 200 giros a menos do que era antes. Dessa forma, houve uma redução tanto no ruído interno quanto no consumo. As médias de 7,4/8,6 km/l (etanol) e 11,0/12,2 km/l (gasolina) foram a 7,5/9,2 e 10,7/13,0 km/l, respectivamente. Já a emissão de CO2 caiu de 116 para 115 g/km, segundo as medições do Inmetro.

A potência do motor 1.6 aspirado pode ter diminuído de 122 para 118 cv, porém, o novo câmbio assegurou maior desenvoltura ao modelo. Dependendo da situação, basta pressionar levemente o pedal do acelerador para serem baixadas até três marchas, fazendo o 2008 Griffe deslanchar. Além do modo Eco, existe o programa Sport, que estica mais as marchas. E quem gosta de guiar esportivamente sentirá falta das borboletas atrás do volante para trocas sequenciais, agora feitas somente pela alavanca.

Direção/suspensão/segurança

Tanto a direção quanto as suspensões mantiveram a boa calibração – apesar de macias, o conjunto não faz feio nas curvas em alta velocidade, transmitindo equilíbrio e baixa oscilação da carroceria. Não só a parte mecânica foi atualizada. Afinal, a cabine passou a exibir uma nova central multimídia, agora com tela capacitiva, além de interface intuitiva e de conectividade com Android Auto e Apple CarPlay. Por conta disso, o navegador deixa de ser oferecido. Outras novidades aparecem no quesito segurança, com a inclusão do isofix para prender cadeirinhas infantis e dos airbags laterais, disponíveis para toda a gama. Com informações do site Motorshow.

FICHA TÉCNICA:

Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, duplo comando
Cilindrada: 1587 cm3
Combustível: flex
Potência: 115 cv a 5.750 rpm (g) e 118 cv a 5.750 rpm (e)
Torque: 16,1 kgfm a 4.750 rpm (g) e 16,1 kgfm a 4.000 rpm (e)
Câmbio: automático, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,159 m (c), 1,739 m (l), 1,583 m (a)
Entre-eixos: 2,542 m
Pneus: 205/60 R16
Porta-malas: 355 litros (402 litros com o banco traseiro rebatido)
Tanque: 55 litros
Peso: 1.248 kg
0-100 km/h: 12s7 (g) e 12s4 (e)
Velocidade máxima: 185 km/h (g) e 186 km/h (e)
Consumo cidade: 10,7 km/l (g) e 7,5 km/l (e)
Consumo estrada: 13,0 km/l (g) e 9,2 km/l (e)
Emissão de CO2: 115 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (SUV Compacto)

Por Ronald Dória/ Equipe JC