06/06/2019 as 09:46

Veículos

HR-V Touring 1.5 turbo: Versão de topo volta à gama com equipamentos inéditos

Versão trouxe teto solar panorâmico, câmera no retrovisor direito e sistema de vetorização de torque.


Após passar pela primeira reestilização, o Honda HR-V agora entra na turma dos SUVs compactos com motor turbo. A volta da versão de topo Touring é a principal novidade da linha 2020 do modelo, agora com o mesmo motor 1.5 turbo a gasolina do Civic Touring.

Junto do propulsor, o crossover também trouxe teto solar panorâmico, faróis full-LED, câmera no retrovisor direito e sistema de vetorização de torque, entre outras atrações. O problema é que o preço bateu nos R$ 139.900 e deixou no ar a dúvida: afinal, ele vale mais R$ 45,5 mil sobre a versão de entrada LX, de R$ 94.400? Levamos os dois para um tira-teima na pista de testes.

A principal razão de ser do HR-V Touring é o motor 1.5 importado do Japão. Com turbo e injeção direta, além da variação no tempo de abertura das válvulas de admissão e escape (Dual VTC), ele rende 173 cv de potência e 22,4 kgfm de torque entregues numa constante de 1.700 a 5.500 rpm. Para efeito de comparação, o 1.8 aspirado da versão LX fornece 140 cv e 17,4 kgfm, só que o torque máximo aparece somente a elevadas 5.000 rpm, o que faz toda a diferença em termos de dirigibilidade. O câmbio permanece automático do tipo CVT, mas o da versão turbo é uma caixa diferente (mesma do Civic Touring e do CR-V), que suporta mais torque e simula 7 marchas em todas as situações, inclusive com borboletas no volante - algo que o LX não traz, embora exista no EX e no EXL.

A Honda já havia mexido na suspensão do HR-V para a linha 2019, bem como no ajuste do CVT e na parte de isolamento acústico. A versão turbo se vale das mudanças, mas traz acerto específico de molas e amortecedores, além de uma barra estabilizadora de maior diâmetro (1 mm extra) e a adoção do sistema de vetorização de torque (que a Honda chama de Agile Handling Assist - AHA), este também vindo do Civic. Curiosamente, os freios são os mesmos do modelo 1.8, que segundo a Honda já haviam sido revistos.

Em termos de consumo, dados do Inmetro indicam médias de 11,4 km/litro na cidade e 12,6 km/litro na estrada, contra 11,0 e 12,3 km/litro do modelo 1.8, respectivamente, sempre com gasolina. Na prática, porém, esperamos ver uma vantagem maior do HR-V turbo, pois as nossas medições do Civic Touring, com o mesmo conjunto mecânico, revelaram médias de 12,6 e 16,8 km/litro, nesta ordem.

Toques de Civic
Esperado por se tratar de uma versão Touring, o HR-V ganhou alguns itens do Civic de mesmo nome, como o botão de partida e o sistema Lane Watch, que mostra na multimídia a imagem da câmera colocada no retrovisor direito quando damos a seta correspondente ou apertamos um botão na ponta da alavanca de seta. Também trouxe novos faróis full-LED, incluindo os faróis de neblina, e o retrovisor interno fotocrômico. Tem ainda a exclusividade do teto-solar panorâmico, que trouxe junto novas luzes de teto (agora em LED) e uma antena tipo shark no teto. No entanto, o Civic ainda tem a mais os ajustes elétricos dos bancos dianteiros e o ar-condicionado de duas zonas, numa multimídia mais completa, enquanto o HR-V mantém o ar digital simples das demais versões, bem como a multimídia de 7” do modelo EXL, com Android Auto e Apple CarPlay.
Fonte: Motor 1