22/07/2021 as 07:49

ESCOLAS

Cerca de 115 mil alunos voltam às aulas em SE

Escolas privadas do Estado estão voltando às atividades presenciais desde essa quarta-feira, dia 21

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

Cerca de 115 mil alunos da rede privada de ensino de Sergipe voltaram às aulas presenciais desde esta quarta-feira, 21. As escolas foram autorizadas a fazer a retomada do ensino presencial pelo Comitê Técnico Científico de Atividades Especiais (Ccae). Estes espaços, no entanto, devem oferecer aos alunos a opção pelo ensino presencial ou remoto, sendo garantida, para os que assim optarem, a permanência na modalidade integralmente remota.

Em todos os casos, o retorno às atividades educacionais presenciais deve respeitar o cumprimento dos protocolos sanitários e a limitação da capacidade de alunos por sala obedecerá ao espaçamento mínimo entre carteiras de 1,5m. Permanecem autorizadas, sem limitação de capacidade operacional, as atividades administrativas de apoio. De acordo com a Federação das Escolas Particulares do Estado de Sergipe (Fenen-SE), não é possível dizer quantos estabelecimentos de ensino retornaram às aulas, pois nem todos seguem o calendário da Federação, pois como órgão orientador elabora um calendário e sugere o início das aulas.

A sugestão era de retorno nesta quarta, dia 21, mas outras escolas deverão voltar no dia 2 de agosto. Em Sergipe, há uma média de 115 mil alunos, na capital são cerca de 50 mil. “As orientações da Fenen desde do ano passado é que a escola precisa seguir à risca o protocolo sanitário. Os pais precisam ser os fiscais das escolas, é preciso cumprir rigorosamente os protocolos: distanciamento de 1,5m, álcool em gel, medida de temperatura, entre outros. Estamos retornando com uma situação mais confortável pelo fato da comunidade escolar, desde o porteiro ao diretor, já terem tomado a primeira dose, mas isso não significa que pode relaxar nos cuidados.

Solicitamos a Vigilância Sanitária que faça uma fiscalização atuante para que as escolas realmente cumpram os protocolos, para que a escola seja um local de segurança que vem sendo construída nesse último ano”, afirmou. A Fenen reforça que o ensino híbrido permanece, pois o decreto autorizou o retorno, mas a decisão final é dos pais ou responsáveis pela volta dos alunos. “As escolas precisarão oferecer o ensino híbrido e estão fazendo levantamento de quantos retornarão, mesmo nos locais cujos pais concordam com o retorno, pois talvez seja necessário um rodízio, onde o aluno vai assistir uma semana presencial, outra semana online por causa do espaço, pois Sergipe é único Estado do país que exige a distância de 1,5m; todos os estados o distanciamento é de 1m, então isso acaba fazendo com que a turma seja realmente menor”. E completa: “A Federação vem pedindo, solicitando e orientando, pois esse é o nosso papel, não somos um órgão fiscalizador. Temos pedido à Vigilância Sanitária que fiscalize.

O presidente da Federação, o professor Renir, faz parte do Comitê e uma solicitação que fez foi para que o pessoal da educação fizesse parte do grupo prioritário de vacinação, exatamente para que a volta acontecesse o mais rápido possível e com segurança. A expectativa da Federação para esse retorno é a melhor possível, pois entende que é necessário”. Por fim, a Fenen declarou que entende que o retorno demorou, sendo Sergipe o Estado que mais demorou a retornar. “O trabalho da Federação é para que as escolas permaneçam abertas, independente de ter pandemia ou não, que a escola seja a primeira a abrir e se for para fechar, que seja a última a fechar. Está sendo feita uma enquete nas escolas e questionado aos pais se eles mandariam os filhos agora com a autorização do retorno, e a maioria (75%), disse que enviaram sim os filhos. Isso deixa a gente tranquilo, pois sabemos que a forma que estamos trabalhando tem deixado os pais tranquilos”, finalizou a Fenen.

|Por Grecy Andrade
||Foto: André Moreira