13/06/2022 as 12:10

SAÚDE

Maria sugere criação de enfermaria e laboratórios em colégio de Cristinápolis

Para a deputada, ações contribuem para assegurar saúde dos alunos e estimular, através da prática, interesse por conteúdos vistos em sala

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

A deputada estadual Maria Mendonça (PDT) propôs, por meio de Indicação protocolada na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), a criação de enfermaria e de laboratórios multidisciplinares no Colégio Estadual Leonardo Gomes de Carvalho Leite, localizado no município de Cristinápolis. A sugestão foi feita ao governador Belivaldo Chagas e a Josué Modesto, secretário estadual da Educação, do Esporte e da Cultura.  

“Essas são demandas dos próprios alunos da instituição e, como o Parlamento é a caixa de ressonância da sociedade, cabe-nos adotar as medidas que nos cabe para tentar viabilizá-las. É nosso dever ouvir e atender as necessidades da juventude que, como todos dizem, é o futuro da nossa Nação”, argumentou Maria, ao ressaltar as ações empreendidas na referida escola pelo Governo do Estado, desde 2016.  

Para Maria, é fundamental que em qualquer estabelecimento de ensino haja espaço de enfermaria, com profissional de enfermagem durante o período de aulas, tanto para detecção rápida de doenças quanto para atendimento de emergências. “Somente uma pessoa habilitada na área é capaz de identificar doenças que, para professores e outros funcionários da escola, podem não ser visíveis. Não só isso: em caso de qualquer acidente, o atendimento é célere e eficiente, além do fato desses profissionais poderem agregar conhecimento sobre saúde pública para os estudantes”, explicou. 

A deputada estadual destacou, também, a necessidade de criação de laboratórios que atendam disciplinas como biologia, química, informática, matemática, entre outras. Para ela, esses espaços são essenciais para que os estudantes coloquem em prática o que aprenderam em sala de aula, diversificando o ensino e estimulando o aprendizado. “A pesquisa e a prática científica devem começar a partir do ambiente escolar, na educação básica. É assim que poderemos estimular futuros pesquisadores que contribuam para o desenvolvimento de Sergipe e do Brasil. Sem investimento em ciência e educação, não há futuro”, afirmou ela.