23/04/2021 as 08:40

COVID-19

Sergipe recebe novas doses e deve ampliar a vacinação

Ministério da Saúde envia 31.200 doses de vacinas contra a Covid-19

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

O Governo de Sergipe recebeu nesta quinta- -feira, 22, uma nova remessa de vacinas contra Covid-19 e deverá ampliar o grupo prioritário na próxima semana. O Ministério da Saúde enviou dessa vez 31.200 doses. Do total, 25 mil são da AstraZeneca e 6.200 da CoronaVac. As doses chegaram por volta das 16h30 de ontem no Aeroporto Internacional Santa Maria, em Aracaju.

Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde, nessa sexta-feira, 23, a equipe de imunização do órgão se reunirá para definir qual o grupo prioritário que será contemplado com o novo lote. Até esta quarta-feira, 21, a SES já havia aplicado 288.811 mil primeiras doses e 121.645 segundas doses da vacina.

Somente sete municípios sergipanos atingiram a taxa de 100% de cobertura vacinal referente à primeira dose. Mas outras 35 cidades do interior estão acima de 90% de cobertura. Já com relação à segunda dose do imunizante, somente a cidade de Moita Bonita atingiu os 100%.

SES alerta municípios sobre aplicação

A Secretaria Estadual de Saúde orienta que os municípios sergipanos não utilizem as vacinas destinadas para aplicação em segunda dose como substituição à primeira. Essa recomendação se dá por alguns fatores: o primeiro deles é que o público prioritário precisa ter assegurada a aplicação de duas doses dos imunizantes para maior proteção contra a Covid-19.

O diretor de Vigilância em Saúde da SES, Marco Aurélio Góes, enfatiza que o não cumprimento dessas orientações pode acarretar em problemas futuros. “A gente sempre alerta os municípios que utilizam façam a utilização das doses conforme a orientação na entrega, pois com intenção de acelerar a vacinação for utilizada a segunda dose pode ser que o Ministério da Saúde não consiga enviar novas doses em tempo hábil para ser aplicada na população”, alerta.

Marco Aurélio explica que até o momento, os lotes têm sido entregues no prazo programado, porém é preciso assegurar que a população que já recebeu a primeira dose das vacinas não sofrerá interrupção do fluxo vacinal, caso haja algum contratempo no cronograma de distribuição dos imunizantes pelo Governo Federal. “Toda dose que sai da Secretaria de Estado da Saúde como D1 deve ser aplicada como primeira dose, do mesmo modo a segunda dose quando for enviada com esse fim”, destaca.

Para assegurar uma melhor eficácia da imunização com a Coronavac/Butantan, o Estado de Sergipe adotará como protocolo o prazo orientado pelo Instituto Butantan de até 28 dias entre a aplicação da primeira e segunda doses. “Desde que se começou a utilizar a Coronavac, vacina produzida e distribuída pelo Butantan, o Programa Estadual de Imunização tem orientado o prazo de 21 a 28 dias entre as doses. Mas pela análise de recente estudo clínico foi verificado o intervalo mais próximo a 28 dias promove uma melhor resposta imunológica”, explica Marco Aurélio.

|Por Laís de Melo
||Foto: Jadilson Simões