04/10/2021 as 09:59

ENTREVISTA

TB Entrevista Valmor Chagas

Ocupou diversos cargos estratégicos em várias administrações públicas, e deixa sempre a marca da competência, discrição e sobretudo de seriedade

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

Nosso entrevistado é Valmor Barbosa, diretor-presidente da Sergas. Atuando em diversas áreas do segmento de gás natural, a Companhia Distribuidora Sergipe Gás S.A (Sergas), tem enfrentado todo esse período adverso para a economia nacional e sergipana com muita criatividade, tecnologia e busca incessante de novos negócios, sem esquecer o olhar social que o momento requer.

Valmor é engenheiro civil, formado há mais de 30 anos pela UFS, pertencente ao quadro da Prefeitura Municipal de Aracaju, ex-professor universitário, profissional experiente, que já coordenou equipes responsáveis pelo planejamento de obras na capital e em todo estado de Sergipe. Ocupou diversos cargos estratégicos em várias administrações públicas, e deixa sempre a marca da competência, discrição e sobretudo de seriedade. Desde julho de 2019, passou a ocupar o cargo de diretor presidente da Sergas.

THAÏS BEZERRA – Qual o panorama para a Sergas com o advento da nova lei do gás?
Valmor Barbosa – O segmento do gás vivencia um momento ímpar, no mundo e no Brasil. Nesse ponto, Sergipe é um estado que está bastante avançado em termos de legislação, sendo o primeiro a criar e aprovar, na Alese, um novo ente no segmento, que é o Consumidor Livre. Após a aprovação da nova lei do gás, num brilhante do deputado federal Laércio Oliveira, outros supridores poderão fornecer via distribuidoras estaduais o que era reservado apenas à Petrobras, criando assim a uma livre concorrência. Com a descoberta por parte da Petrobras das jazidas de petróleo e gás em aguas ultraprofundas no litoral de Sergipe, o estado passará à condição de grande exportador de gás.

TB – A Sergas participou, junto com outras distribuidoras do Nordeste, de uma Chamada Pública para novos contratos para fornecimento de gás natural. O que é e como está o status desse processo?
VB – A Chamada Pública é o procedimento administrativo que tem por escopo tornar pública a pretensão das companhias distribuidoras em adquirir gás natural, independentemente de sua origem (Onshore, Offshore, GNL etc). Após a apresentação das propostas, quatro empresas foram consideradas qualificadas na fase preliminar. Atualmente, a Sergas encontra-se em fase de negociação com essas empresas, identificando a proposta mais vantajosa para a companhia.

TB – Com relação ao novo momento econômico influenciado pelo Gás, qual o panorama em Sergipe?
VB - O governador Belivaldo Chagas vem implantando importantes e inovadoras políticas de incentivo ao setor. Em 2019, por exemplo, foi estabelecida a aleração da alíquota do IPVA 1% para 0,2%, significando uma redução de cerca de 80% dessa tributação para ônibus, micro-ônibus, caminhões e cavalos mecânicos que utilizam como combustível o Gás Natural Veicular (GNV) ou Gás Natural Liquefeito (GNL). Outra medida foi a redução da alíquota do ICMS de 18% para 12%, incidente sobre o GNV. Além disso, isentou o recolhimento da alíquota de 18% de ICMS para todas as indústrias enquadradas no Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), com redução real na tarifa de cerca de 20%. Há também o projeto de interiorização. Na ausência de linha de crédito e investimento por parte de órgãos federais, esse processo ficou a cargo exclusivamente da Sergas. Já estamos presentes em sete municípios diretamente e em dois indiretamente, através de parceria comercial. Já concluímos uma grande expansão em São Cristóvão, que contempla 2.500 apartamentos e um posto de combustível. Além disso, com a construção de 3,3km de tubulação no bairro Rosa Elze, a Sergas atenderá oito condomínios residenciais, com um total de aproximadamente 2.200 apartamentos, com cerca de 6 mil usuários. Também há projetos para implantação de gasodutos na Barra dos Coqueiros.

TB – E com relação a novos negócios?
VB – Além da referida Chamada Pública, também estamos em contato com o grupo empresarial Estre, para o aproveitamento do gás metano queimado no seu aterro sanitário. Já a Sedetec, secretaria à qual a Sergas é vinculada, vem realizando captação de empresas para Sergipe, assim como incentivado a ampliação de unidades já instaladas no estado. A Sergas, por sua vez, vem realizando obras em várias regiões na capital, como a implantação de gasodutos na Zona de Expansão, beneficiando condomínios da região, um posto de combustível e um shopping center. Isso ocorre também nos bairros Luzia e Industrial, beneficiando diversas entidades hospitalares e condomínios, além do Lar de Idosos Same. Fora isso, temos participado de vários encontros de negócios pelo Brasil, como a reunião realizada em agosto, em Natal, com a presença dos governadores do Nordeste, onde ocorreu a reunião entre os presidentes das companhias de gás da região.

TB – E com relação à responsabilidade social, quais as ações que a Sergas tem realizado?
VB – A Sergas tem um olhar e uma preocupação muito grande com o lado social. A atuação inclui o apoio a entidades que cuidam da prevenção ao câncer e a lares que abrigam idosos em fragilidade de saúde e social. Juntamente com os funcionários da companhia, realizamos doações de sangue ao Hemose, de alimentos para entidades filantrópicas e materiais de alimentação e higiene para entidades que cuidam de animais desamparados. Recentemente, fizemos uma doação para a SMTT de dois abrigos para pontos de ônibus que estão atendendo à comunidade do Conjunto Augusto Franco. Antes, as pessoas ficavam expostas ao sol e à chuva, sem ter um lugar para sentar. Construímos os dois abrigos dentro das normas ambientais, com madeira de reflorestamento, oferecendo mais segurança e conforto aos usuários do sistema de transporte público da nossa capital.