27/08/2018 as 12:59

Cultura

Violência contra mulher é tema de exposição no Centro Cultural de Aracaju

A mostra segue até o dia 15 de setembro


Violência contra mulher é tema de exposição no Centro Cultural de AracajuFoto: Marco Vieira/PMA

No mês em que a Lei Maria da Penha completa 12 anos, a Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), em parceria com o departamento do curso de Museologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), inaugura a exposição ‘E Se Esse Corpo Fosse o Meu?’, no dia 31, às 14h. A mostra segue até o dia 15 de setembro, no Centro Cultural de Aracaju, com entrada franca e classificação 14 anos.

 

A exposição abordará questões da atualidade, além de dados reais e depoimentos das vítimas sobre a violência contra a mulher, através de três tipos de violências recorrentes no Brasil: o assédio sexual, o estupro e o feminicídio. “É resultado de uma pesquisa que tem como objetivo ser um canal de conscientização, apoio e incentivo à denúncia, considerando a percepção sobre o tema pela visão de ambos os sexos, no que fere as diferentes socializações, vivências e experiências”, ressalta a universitária do curso de Museologia e uma das organizadoras da exposição, Ana Cláudia Vieira de Jesus.

 

A mostra tem como público alvo pessoas a partir dos 14 anos. “Compreendendo que nesta fase há o início de diversas responsabilidades, que envolvem as relações sociais, morais e éticas. Mas, é permitido e necessário a circulação da população como um todo, pois este tema deve ser abordado e debatido em diversas ramificações e classes sociais”, pontua Ana Cláudia.

 

Segundo a universitária Lorenna Sayonara de Jesus, o projeto nasce através da disciplina Expografia II, sob a orientação professora Priscila Maria de Jesus, do departamento de Museologia da UFS. “Este estudo permite que os discentes desenvolvam um trabalho que traga à tona relatos reais, que incentivem a denúncia não só por parte das vítimas, mas como das pessoas que presenciam a violência. É o nosso papel de conscientizar e chamar atenção da população para este tema”, comenta.

 

O visitante terá a oportunidade de ter acesso aos dados oficiais a respeito da violência contra a mulher, tanto a nível nacional quanto local, além de conferir situações que estimulem a empatia com as vítimas, reforçando a ideia de não culpabilização das mesmas. “A exposição contará também com um áudio divulgado pela Polícia Militar de Santa Catarina, onde é possível ouvir gravações de ligações reais de ocorrências relacionadas ao tema da exposição”, detalha Lorenna Sayonara de Jesus.

 

AAN











Quer receber as melhores notícias no seu Whatsapp?

Cadastre seu número agora mesmo!

Houve um erro ao enviar. Tente novamente mais tarde.
Seu número foi cadastrado com sucesso! Em breve você receberá nossas notícias.