30/04/2018 as 10:41

PRIMEIRO TRIMESTRE

Produtos exportados somam US$ 23 milhões em Sergipe

O crescimento foi devido à comercialização de produtos básicos, que registraram aumento de 27%.


Produtos exportados somam US$ 23 milhões em SergipeFoto: Divulgação

As exportações da Região Nordeste somaram US$ 3,9 bilhões nos primeiros três meses de 2018. Em comparação ao mesmo período do ano passado, houve incremento de 3,8% nas vendas externas. O levantamento do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), área de pesquisas do Banco do Nordeste, tem base em números divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

 

O crescimento foi devido à comercialização de produtos básicos, que registraram aumento de 27%, e dos semimanufaturados, com avanço de 10% nas exportações. As vendas de algodão (+ 224,6%), bagaço de soja (+ 50,9%) e soja (+ 22%) foram os destaques dos produtos básicos, enquanto as vendas de pasta química de madeira (+ 65,8%) ganharam relevância entre os semimanufaturados.

 

Os principais parceiros comerciais do Nordeste (Estados Unidos, China e Argentina) responderam por 44,8% das exportações. No período de janeiro a março deste ano, relativamente ao mesmo período de 2017, os embarques para os Estados Unidos e Argentina aumentaram 16,5% e 28,4%, respectivamente.

 

Sergipe

 

As exportações de Sergipe somaram US$ 23 milhões no primeiro trimestre de 2018, o que representou um crescimento de 21,6% no total registrado no mesmo período de 2017. Esse resultado decorreu, principalmente, do aumento de 99,4% do valor e de 109,8% da quantidade exportada de suco de laranja, principal produto da pauta de exportações (56,3%).

 

No estado, o açúcar é o segundo produto mais exportado (10,4%), seguido pelo setor de calçados, que representa 4,8% do total de itens comercializados externamente no período. Com relação à pauta de importações, o principal produto comprado no estado é o sulfato de amônio (13,9%), empregado como fertilizante. Em seguida, aparecem o trigo e misturas de trigo (11,7%), e coque de petróleo, que respondem por 8,9% dos produtos importados no início de 2018.